Médica do Hospital das Clínicas conta como é o feito o parto de uma mulher com COVID-19

bebe parto nascimento 1217 1400x800 0
LittleDogKorat/ Shutterstock

No atual contexto de pandemia de coronavírus, os cuidados para conter a transmissão do vírus englobam protocolos de higiene ou mesmo de contato entre secreções humanas. Segundo a pediatra Vera Lucia Jornada Krebs, do Centro Neonatal do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, é o que acontece durante o parto de mulheres com COVID-19.

Em entrevista ao Jornal da USP, a médica explicou qual é o atual protocolo dos médicos durante o parto de mulheres com COVID-19 para proteger os recém-nascidos.

Partos de mulheres com COVID-19: como são realizados

coronavirus mascara gravida 0320 1400x800 0
Antonio Rico/Shutterstock | Natalia Deriabina/Shutterstock

Embora grávidas e puérperas estejam incluídas no grupo de risco, ainda não há estudos que comprovem a transmissão vertical do coronavírus (das gestantes para o feto).

Mesmo assim, Vera Lucia lembra que há casos isolados de bebês que nasceram com evidências de transmissão via placenta do SARS-CoV-2.

Por isso, algumas recomendações são seguidas por médicos durante o parto e pós-parto para assegurar que a taxa de transmissão para o bebê não aumente.

Segundo Vera Lucia, que coordena esse protocolo no HC, essas orientações não são permanentes e tendem a serem modificadas conforme novas descobertas são identificadas pela comunidade científica sobre procedimentos neste assunto.

Parto

parto cesarea recem nascido 0318 1400x800
Nasimi Babaev/shutterstock

Se a grávida for positiva para COVID-19 e seu parto estiver próximo, o protocolo é que a mulher não tenha contato com a pele com recém-nascido. O bebê também não tem contato com secreções como suor, gotículas, escarros e aerossóis da mãe.

Separação temporária da mãe e bebê

recem nascido mae bebe 0917 1400x800
AleksandarNakic/istock

Para diminuir o risco de contaminação do recém-nascido, é aconselhável que mãe e bebê fiquem separados por um período - dessa maneira, evita-se o contato com secreções respiratórias da mulher.

Bebê em isolamento

recem nascido 0620 1400x800
Sopotnicki/shutterstock

Se o bebê receber resultado positivo para COVID-19, ele deve ser direcionado para uma ala isolada, separado de outros bebês que não estejam com suspeitas ou com o novo coronavírus. Este isolamento dura até que a suspeita de contaminação seja descartada.

O teste em bebês é feito de maneira igual em adultos: RT-PCR em swab.

Aleitamento

amamentacao parto bebe 0919 1400x800
Virojt Changyencham/Shutterstock

O aleitamento é permitido caso o bebê seja negativo para COVID-19 e a mãe apresente bom estado de saúde. Quando o aleitamento é autorizado, a recomendação segue sendo manter a higienização correta: lavagem da mão e uso de máscaras, que devem ser trocadas ao espirrar ou tossir.

Aleitamento de mães com COVID-19

amamentacao bebe mulher 0620 1400x800
Onjira Leibe/shutterstock

Caso a mulher esteja com COVID-19 e tenha vontade de continuar a amamentação, o procedimento não é barrado desde que ela tenha condições clínicas consideradas adequadas pela equipe médica e respeite algumas regras:

  • manter distância mínima de 1,8 metro entre a cama materna e o berço do recém-nascido;
  • lavar as mãos por, pelo menos, 20 segundos antes de tocar o recém-nascido;
  • usar máscara facial (cobrindo completamente o nariz e a boca) durante as mamadas e evitar falar ou tossir durante a amamentação;
  • a máscara deve ser imediatamente trocada em caso de tosse ou espirro ou a cada nova mamada.

Visitação

estimular desarrollo lenguaje bebe
Rohappy/Shutterstock

Durante o período em que o bebê estiver no hospital, as visitas são restritas, assim como a permanência de acompanhantes no quarto. Pessoas que tiveram contato com indivíduos gripados ou com COVID-19 não devem ir até o hospital até que fiquem assintomáticos - ou até que o período de incubação do vírus, 14 dias, passe. Visitas em casa devem ser suspensas.

Alta hospitalar

bebe recem nascido sorrindo 04
Yulia Sribna / Shutterstock

Quando recebem alta hospitalar, uma série de recomendações são dadas às mães quanto às precauções para proteger o bebê da contaminação do vírus e os sinais de alerta de doença: febre, má aceitação da alimentação, vômito, sonolência, dificuldade em respirar, gemência, piora da intensidade da icterícia (coloração amarela na pele), urina diminuída, palidez e cianose (coloração azulada na pele).

Coronavírus