Depressão tem cura? Conheça sintomas físicos e psicológicos + tratamentos

depressao jovem tristeza 0219 1400x800
Have a nice day Photo/shutterstock

Doença que afeta quase 350 milhões de pessoas em todo o mundo, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), a depressão é uma condição séria, incapacitante e considerada a maior causa de suicídios no planeta.

O que é a depressão

A depressão é um distúrbio mental caracterizado por um sentimento de profunda, intensa e constante tristeza aparentemente sem motivo, que pode persistir durante semanas e meses até ser corretamente diagnosticada.

depressao tristeza inverno 0119 1400x800
Marjan Apostolovic/shutterstock

A condição afeta a vida do paciente por comprometer afazeres do dia a dia, no trabalho e provocar cansaço excessivo, apatia e desesperança. Ficar triste é bem diferente de ser diagnosticado com depressão: ambas surgem de um acontecimento na vida, mas a tristeza é passageira, explica a psiquiatra Dra. Simone Barazzetti Olsson.

De acordo com Dr. Antônio Geraldo da Silva, presidente da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), a maioria dos depressivos não sabe que tem o problema e também há outra parte da população que confunde o mal com ansiedade e tristeza.

pesadelo insonia depressao 1018 1400x80
Randoms / Shutterstock

Além de atrapalhar as atividades cotidiana, a depressão coloca a vida em risco. Segundo o presidente da ABP, 12 mil pessoas se matam por ano no Brasil, ou seja, 33 por dia, por causa da depressão.

Tipos de pressão

A depressão pode se apresentar de diversas formas, que apresentam diferentes sintomas e exigem tratamentos específicos. Os principais tipos de depressão são:

  • Transtorno bipolar
  • Depressão pós-parto
  • Depressão funcional
  • Depressão ansiosa
  • Distimia
  • Depressão profunda
  • Depressão psicótica
solidao tristeza depressao 1116 1400x800
martin-dm/istock

O que provoca depressão

Apesar de ter causas genéticas e resultar de alterações químicas no cérebro, ou seja, fatores físicos, a depressão é desencadeada por situações que afetam o emocional do paciente, como um parto, perda de um emprego, morte de um familiar, etc.

Como identificar no início?

Como não há nenhum exame clínico que dê um diagnóstico de depressão, prestar atenção aos primeiros sintomas é fundamental para se livrar da condição.

tristeza depressao ansiedade 1018 1400x800
igorstevanovic/shutterstock

Sintomas mais comuns de depressão

A depressão é uma doença difícil de ser diagnosticada por apresentar sintomas silenciosos e que, muitas vezes, são confundidas com outros problemas de saúde. O transtorno pode dar sinais físicos e emocionais.

Sintomas emocionais da depressão

  • Tristeza e falta de esperança
  • Raiva e irritabilidade aparentemente sem motivos
  • Incapacidade de trabalhar
  • Excesso de autocrítica
  • Apatia e falta de prazer mesmo em atividades de lazer
  • Falta de concentração e perda de memória
  • Crises de ansiedade
insonia tristeza depressao 1118 1400x800
Oleg Golovnev/shutterstock

Sintomas físicos da depressão

  • Diminuição da libido
  • Cansaço excessivo
  • Dores que não respondem a tratamentos ou remédios
  • Alterações do sono (sonolência excessiva ou dificuldade para dormir)
  • Alterações bruscas de apetite (comer pouco ou demais)
  • Mudanças de peso sem motivo aparente

Depressão tem cura?

mulher depressiva 0218 1400x800
Sergey Edentod/Shutterstock

A depressão é uma doença que não possui cura definitiva. A reincidência dos sintomas do transtorno, aliás, é bastante frequente e seu intervalo varia de paciente para paciente. Quem sofreu um episódio depressivo tem 50% de chance de ter um segundo, afirma o presidente da Associação Brasileira de Psiquiatria.

É importante ressaltar, no entanto, que apesar de não ter cura, a depressão pode ser tratada e ter seus sintomas controlados, garantindo assim uma vida livre de sintomas ao paciente.

Tratamentos contra depressão

ajuda amiga depressao 1218 1400x800
Chaninny/shutterstock

Não existe um exame clínico que seja capaz de diagnosticar a depressão corretamente, sendo o mais indicado se submeter à consulta com psiquiatra.

Após a depressão ser diagnosticada, é recomendado tomar antidepressivos e fazer psicoterapia. "Diferente do que grande parte das pessoas pensa, os medicamentos antidepressivos não viciam. Alguns realmente acarretam efeitos colaterais, mas mesmo assim são a melhor alternativa para amenizar o problema, explica o Dr. Antônio Geraldo da Silva.

Outro ponto importante é que, sempre que possível, familiares devem participar das consultas com o depressivo a fim de entender sua situação e fornecer o apoio necessário para que o tratamento tenha sucesso.

tristeza depressao preocupacao 1218 1400x800
Kleber Cordeiro/Shutterstock

Um equívoco comum e bastante grave é abandonar os cuidados, como deixar de tomar remédios ou não mais frequentar sessões de análises, assim que aparecerem os primeiros sinais de melhora. É essencial entender que o tratamento os cuidados devem ser constantes.

Um tratamento complementar eficaz é a prática de atividades físicas contra depressão, visto que ele faz com que o organismo libere substâncias que relaxam o sistema nervoso e dão prazer.

Depressão: causas, sintomas e tratamentos