Você tem comido por fome ou por ansiedade na quarentena? Faça o teste

cerebro comida fome 1116 1400x800
Planet Flem/iStock

Diante de situações tensas e incertas como o cenário proporcionado pela pandemia de COVID-19, muitos estão mais ansiosos do que de costume, e isso pode desencadear uma mudança de hábitos – sendo um deles o de comer por razões emocionais em vez de por fome. Conhecida como apetite hedônico na medicina, a fome emocional pode ser prejudicial, e identificá-la é essencial para reverter o quadro.

O que é fome emocional?

Nos últimos tempos, com a crescente necessidade de se praticar o isolamento social, tornou-se comum ver pessoas reclamando sobre o comer exagerado e a vontade grande por doces e outros alimentos que promovem conforto. Isso, por sua vez, pode ser causado por um aumento da “fome emocional”, e a endocrinologista Paula Pires, idealizadora do projeto “Médicos na Cozinha”, explica a questão.

fome gula pao noite 0620 1400x800
Emily frost/Shutterstock

“Com o passar do tempo, nós aprendemos a nos utilizar da alimentação como um método para obtenção de prazer, de recompensa, de sensações agradáveis e de alívio de tristezas e ansiedades. Ou seja, passamos a atribuir ao alimento uma função que, primariamente, não era dele”, diz ela, explicando que certos alimentos contribuem mais que outros com esse mecanismo de recompensa, como os ricos em açúcares e carboidratos, dentre outros.

Teste: sua fome é física ou emocional?

A fome emocional, no entanto, se identifica na prática, e este teste vai te ajudar a entender se você passa por isso ou não.

Importante: o teste não substitui a avaliação feita por um médico:

Alimentação saudável