mulher

Insônia, ansiedade, fadiga: atriz mostra quão assustador é o que dieta restrita faz no corpo

debora nascimento dieta 0617 1400x800
Thiago Duran/AgNews e debranascimento/Instagram

A atriz Débora Nascimento revelou recentemente que precisará emagrecer 15 kg para interpretar uma personagem nos cinemas. Para enfrentar esta mudança física radical, ela adotou uma dieta hiper-restrita com a supervisão de profissionais, mas o desafio está sendo mais difícil do que ela imaginava.

Em desabafo feito em sua conta no Instagram, a atriz chora ao falar sobre as várias mudanças que já sentiu em seu corpo, mesmo tendo adotado os novos hábitos há apenas 5 dias.

Débora Nascimento conta como dieta restritiva prejudicou sua saúde

Afeta o sono

Com uma aparência visivelmente cansada, Débora revela que não tem conseguido dormir bem. De acordo com a nutricionista Iara Pasqua, da BP – A Beneficência Portuguesa da de São Paulo, uma alimentação restritiva, principalmente sem carboidratos, pode realmente atrapalhar o sono e provocar insônia.

“O carboidrato junto com vitaminas ajuda na produção de melatonina, que é o hormônio que faz o corpo entrar em sono profundo e descansar. Em uma dieta restritiva, é muito comum a pessoa retirar o carboidrato e aí ela não consegue alcançar o sono reparador, é como se ela só cochilasse”, explica a nutricionista.

Com isso, a pessoa não descansa adequadamente, o que pode provocar falta de foco e até déficit de atenção. “A privação de sono é quase igual ao efeito da bebida alcoólica sobre a pessoa porque ela não consegue focar, prestar atenção ao que está fazendo”, explica Iara.

Mudanças bruscas no humor

Débora também disse que tem se exaltado facilmente e que teve uma crise de ansiedade que fez com que ela arrancasse o esmalte das unhas. Além da insônia e da fome, que causam mau-humor e irritabilidade, a falta de serotonina também pode contribuir para mudanças como essas.

“A serotonina provoca alegria, prazer, bem-estar e nós a secretamos ao longo do dia, mas ela também precisa de matéria-prima, como o carboidrato por exemplo. Se restrinjo muito o carboidrato, o pouco que consumo vai para os órgãos vitais e a serotonina não é produzida”, comenta.

Fadiga

Outra reclamação de Débora é que ela sente que está menos ágil. “Eu estou lerda. Não consigo fazer nada sem parar para respirar”, lamentou.

Iara explica que a sensação de fadiga pode ser causada pela baixa quantidade de ferro no sangue. “O ferro compõe a hemoglobina, que é a responsável por transportar oxigênio no sangue. Se a pessoa come mal, a hemoglobina fica baixa e a pessoa sente cansaço, tem dificuldade de ler, focar e até de entender o que está ouvindo”, esclarece a nutricionista.

Além disso, com o tempo, a baixa ingestão de nutrientes também pode provocar danos na pele, no cabelo e nas unhas. “Hormônios essenciais deixam de ser produzidos e os nutrientes são direcionados aos órgãos vitais. Por isso, uma das primeiras consequências é a queda de cabelo”, afirma a especialista.

Constipação intestinal

Outra queixa de Débora é que ela não tem ido ao banheiro com regularidade. Por isso, decidiu começar a comer folhas que, por serem ricas em fibras, podem ajudá-la com a prisão de ventre.

A nutricionista explica que existem também outras causas para a prisão de ventre: “Folhas são muito importantes porque são ricas em fibras e podem ajudar, mas quando a pessoa está fazendo uma dieta muito restritiva pode ser que a causa da constipação seja justamente a pouca comida, que pode ser insuficiente para a formação do bolo fecal”, pondera a nutricionista.

Riscos das dietas