pop

Taís e Lázaro mudaram rotina em casa para gravar série: "A gente ria da gente"

cadu taata amor e sorte 1400x800 0920
Globo / Estevam Avellar

Nesta última terça-feira (15), mais um episódio de "Amor e Sorte" foi exibido, sendo esta mais uma produção da TV Globo feita 100% remotamente, na qual os atores ficam responsáveis pela montagem de todos os equipamentos.

Desta vez com Taís Araújo e Lázaro Ramos no papel de protagonistas de mais uma história da quarentena, os artistas encararam o novo desafio de mexer com muito mais do que eles estavam acostumados nos bastidores e também se divertiram com a história do casal.

Bastidores de "Amor e Sorte"

amor e sorte tabata cadu 1400x800 0920
Globo / Estevam Avellar

Na história exibida nesta última terça-feira (15) na TV Globo e disponível no Globoplay, o segundo episódio de "Amor e Sorte" teve Taís Araújo e Lázaro Ramos como intérpretes e como as mãos responsáveis pelos bastidores.

Retratando o casal Tabata e Cadu, os atores representaram as consequências do confinamento na quarentena, capaz de criar diversas divergências que podem sair do âmbito político até o matrimonial. Escrito por Alexandre Machado, o episódio é uma homenagem a Fernanda Young, mulher do autor que faleceu em agosto de 2019. O casal viveu junto por 25 anos e era também parceiro no trabalho.

Durante a experiência, os protagonistas da história também foram os responsáveis por montar tudo, apenas com a ajuda remota da equipe, que os direcionava em cada detalhe.

amor e sorte 1400x800 0920
Globo / Estevam Avellar

"Tive que me esforçar para fazer e consegui fazer. Até montagem de microfone nós fizemos. A equipe estava remota, nos ajudando muitíssimo, mas não estavam aqui. Eles nos ajudavam, mas dependiam muito do nosso empenho", contou Taís.

"Foi difícil porque é uma demanda muito diferente de quando trabalhamos com a equipe próxima. E, mesmo tendo experiência como diretor, tendo estudado um pouco para exercer minha profissão, tudo era muito diferente", revelou Lázaro, que já trabalhou como diretor.

Com inúmeras caixas com equipamentos chegando à sua casa, Taís explicou como foi conciliar as gravações com sua vida pessoal. "Nossos filhos ficaram metade do processo com a gente e, como eram cenas noturnas, a gente colocava eles para dormir e, de vez em quando, ou um ou outro aparecia no meio", revelou.

Mesmo diante das dificuldades, em que os dois tiveram que se ajudar, os atores contam que se mantiveram otimistas quanto ao resultado das gravações. Como consequência, diante de todos os trabalhos que já fizeram juntos, este ganhou um tom ainda mais especial.

"A gente podia exercitar de tudo, do drama à comédia. E era um drama real, que eu também estava vivendo. A gente ria da gente. Quando conseguimos olhar com um certo distanciamento, conseguimos fazer graça", disse Taís.

"Temos a sorte de conseguir trabalhar junto, e essa série, neste momento, veio para nos fortalecer. O resultado desse trabalho ajudou a ficar no eixo. Estávamos muito angustiados, muito à deriva nesta quarentena. Agora, parece que virou uma chave", continuou a atriz.

Para Lázaro, fazer o episódio com humor trouxe leveza para o dia a dia do casal.

"Temos uma relação em que o nosso trabalho só nos faz bem. Acho que a gravação de 'Amor e Sorte' foi a nossa virada de humor. Costumamos ser muito envolvidos pelos projetos que fazemos. E esse é muito especial por causa do texto do Alexandre Machado. O texto é muito inteligente porque o Alexandre tem o jeito de ver comédia, de ver o mundo e de ver os casais. Digo, sem sombra de dúvidas, foi um dos trabalhos mais prazerosos que eu já tive ao longo desse tempo todo na Globo", concluiu.

Produções remotas