pop

“Sol Nascente”: polêmicas, esteriótipos e mais 3 razões para a novela não decolar

novela sol nascente 1116 1400x800
Ramón Vasconcelos/Globo

A novela “Sol Nascente”, atual na faixa das 18h da Globo, começou com um elenco de peso e história promissora. O casal protagonista, Mário (Bruno Gagliasso) e Alice (Giovanna Antonelli), tinha tudo para fazer a audiência decolar. Porém, não foi isso que aconteceu. 

Contrariando as expectativas, “Sol Nascente” ainda não fez tanto sucesso e acendeu o alerta na Globo, que estuda fazer mudanças no enredo. Não existem muitas reviravoltas, o romance principal é morno e a escolha do elenco foi polêmica desde antes da estreia. Escrita por Walther Negrão, que sofreu um AVC três meses antes da estreia da novela, os co-autores Suzana Pires e Júlio Fischer colaboram ativamente com os textos.

Entenda por que a novela não agradou o público até então.

Problemas em "Sol Nascente"

História confusa

O ponto central do enredo é a relação de Mário e Alice, amigos de infância que se apaixonam depois de muitos anos. Enquanto o rapaz vem de uma família de imigrantes italianos, Alice foi adotada por japoneses, e todos convivem em Arraial de Sol Nascente, vila fictícia e turística.

O amor improvável é o motor da novela, mas não teve força suficiente para tornar os núcleos coesos. Assim, a história tem muitos personagens perdidos, pois cada família tem um contexto e, no fim, nenhuma tem força para se sustentar sozinha.

Casal sem graça

Embora Bruno Gagliasso e Giovanna Antonelli chamem a atenção pela beleza e sejam os queridinhos do público, os personagens não têm muita química e não ganharam uma grande torcida dos telespectadores.

A trama de amigos que se apaixonam é muito comum e sem obstáculos, como em “Sol Nascente”, fica um romance morno, sem graça – embora seja fofo.

Polêmica no elenco

tanaka sol nascente 1116 1400x800
Cesar Alves/Globo

A escolha do elenco de “Sol Nascente” incomodou o público há tempos. Isso porque a família Tanaka, de imigrantes japoneses, não é interpretada por atores de ascendência japonesa, mas sim por brancos.

O patriarca, por exemplo, é Luís Melo, que mal tem os olhos puxados. A justificativa foi a suposta ‘falta de atores japoneses de peso’, o que desagradou a comunidade nipônica e motivou até boicotes à novela, acusada de racismo.

Muitos estereótipos

Existem vários personagens estereotipados, como o japonês que ama videogames, a dona do bar roqueira cheia de atitude, os amigos que se apaixonam... Clichês funcionam e são a base de qualquer novela, mas faltou um pouquinho de inovação para impulsionar a história.

Falta de ritmo

vittorio lenita sol nascente 1116 1400x800
João Cotta/Globo

Além das famílias como foco principal, há outros dois grupos importantes na novela. Um deles é o do Rota 94, bar comandado por Lenita (Letícia Spiller) e Ralf (Henri Castelli), núcleo que interage com a família de Vittorio (Marcello Novaes), do lado italiano.

Inclusive, o amor de Lenita e Vittorio é o que mais anda movimentando o enredo, e uma das partes mais bem recebidas pelo público.

Há também os caiçaras, que vivem do mar e comandam uma pousada na vila. São personagens que ficam apagados perto do enredo principal, o que prejudica o andamento da novela.

Novelas brasileiras