explore

Iniciativa usa smartphone para examinar retina e diagnosticar doenças em locais remotos

celular problema ocular 1120 1400x800
Samsung/Divulgação

Acoplado a um smartphone, uma ferramenta desenvolvida pela startup Phelcom Technologies, de São Carlos, interior de São Paulo, é capaz de realizar exames de retina de alta qualidade, em poucos minutos, sem a necessidade de dilatação da pupila, e favorecer tratamentos em lugares remotos do Brasil. A empresa passou pela segunda edição do Samsung Creative Startups.

Exame feito à distância com ajuda de smartphone

Exames de retina de alta qualidade fazem parte da prevenção da cegueira irreversível e também podem prevenir retinopatias diabéticas e da prematuridade (exame de fundo de olho na 4ª semana de vida do bebê) e retinoblastoma (tumor mais frequente que acomete os olhos até os cinco anos de idade), detectar descolamento de retina e fazer o monitoramento de glaucoma e o diagnóstico precoce e acompanhamento de degeneração macular relacionada à idade (DMRI).

Batizado de Eyer, o dispositivo móvel coleta imagens e dados que são automaticamente disponibilizados por uma plataforma online, permitindo assim que o diagnóstico de possíveis doenças oculares seja realizado por um médico localizado em qualquer lugar do mundo.

celular olhos captacao 1120 1400x800
Samsung/Divulgação

No método tradicional, o paciente tem que ir a um consultório oftalmológico e o mesmo exame só poderia ser feito com um equipamento maior e fixo, tornando todo o processo muito mais difícil e oneroso.

O Phelcom Eyer já foi utilizado na edição de 2020 do mutirão de avaliação gratuita da retinopatia diabética em Itabuna, cidade no Sul da Bahia com cerca de 200 mil habitantes.

celular olhos mutirao 1120 1400x800
Samsung/Divulgação

“É gratificante saber que o uso do Eyer foi uma das motivações a se fazer o mutirão, que acontece na cidade desde 2004. A tecnologia permite registrar a imagem e o médico analisar pela nuvem. É o benefício de uma evolução tecnológica que não deixará a população local desamparada”, disse José Stuchi, CEO da Phelcom Technologies.

Inovações tecnológicas