Golpe no WhatsApp está roubando milhares de CPFs (e muita gente nem se deu conta!)

boticario golpe whatsapp 1218 1400x800 0
Mary_ART_S/Shutterstock | VIX/Reprodução/WhatsApp

Final de ano é sempre um prato cheio para cibercriminosos aplicarem golpes virtuais ligados a promoções e distribuição de brindes de Natal. Nestes últimos dias, muita gente recebeu mensagem no WhatsApp para ganhar presentes de O Boticário.

É cilada e rouba o CPF e os dados pessoais dos cadastrados, como alerta o dfndr lab, laboratório de segurança digital da PSafe. Entenda.

Mensagem de O Boticário no WhatsApp para ganhar prêmio é golpe

Circula no WhatsApp uma promoção de O Boticário que promete a retirada de alguns mimos da marca, se você se cadastrar e indicar o link da promoção para cinco amigos.

Para participar, a pessoa precisa incluir seu CPF, nome e endereço e ao final deve compartilhar um link com seus contatos pelo WhatsApp para que cinco pessoas se cadastrem na falsa promoção. Há seis links sendo operados nesta suposta promoção de Natal. O resultado é que sua identidade pode ser roubada para usos indevidos.

Pois bem, é capaz que você tenha recebido essa divulgação abaixo no mensageiro, e tenha ficado bastante empolgado para dividir com os outros os presentes:

golpe boticario whatsapp 1218 1400x3610
Divulgação/dfndr lab

Acontece que a mensagem é um golpe pelo WhatsApp, que fez 40 mil vítimas em apenas um dia. A identificação da falsa promoção foi feita pelo dfndr lab, laboratório de segurança digital da PSafe. De acordo com a entidade, o que surpreende na mensagem é que o CPF e o nome são validados pelo golpe, dando a falsa impressão de que de fato O Boticário está fazendo essa promoção.

No final, os cibercriminosos pedem que o usuário vá retirar os presentes em alguma das 3.634 lojas verdadeiras da marca.

Por essa razão, a cilada pode ter feito muita gente acreditar no link e passar adiante aos contatos, com a seguinte mensagem:

golpe boticario whatsapp 1218 1400x722
Divulgação/dfndr lab

Golpe é avaliado como "sofisticado"

Tantos detalhes que supostamente validariam a distribuição dos presentes fazem o golpe ser classificado como sofisticado.

"Esse é um golpe diferenciado e o cibercriminoso de fato teve muito trabalho. A checagem de CPF e o cadastro das lojas o torna muito similar a uma promoção real da marca e, dessa forma, é extremamente difícil para um usuário sem conhecimento técnico identificá-lo como falso", explica Emilio Simoni, diretor do dfndr lab.

Como se proteger de golpes virtuais?

Por mais que o link seja enviado de um contato confiável, é bom ficar antenado na veracidade do link. Usar uma solução de proteção em seus smartphones e consultar se a promoção existe nos canais oficiais da empresa também são estratégias de proteção. É possível ainda checar se o link é uma ameaça ou não no site da Psafe.

Golpes na internet: reconheça ameças