mulher

Fala de Galisteu sobre problema comum no sexo chama atenção: não é como maioria

adriane galisteu 0519 1400x800
Globo/João Miguel Júnior

Em um vídeo para o canal da atriz Julia Faria no YouTube, a atriz e apresentadora Adriane Galisteu fez revelações sobre sua vida pessoal e, entre elas, está o fato de que ela raramente é o lado da relação que está sem vontade de fazer sexo. “Eu não estar com fogo é difícil. Não nego fogo, não sou dessas que inventa dor de cabeça. É mais fácil a hora que eu chego no quarto o marido já estar dormindo do que ao contrário”, explicou ela.

Embora diversas pessoas sejam como Adriane, são muito mais comuns os relatos de mulheres no sentido contrário. Muitas, inclusive, se sentem culpadas por não corresponderem ao mesmo nível de desejo dos parceiros.

São muitos os fatores que podem interferir na libido, e não é nada raro encontrar quem vive angustiado por não ter tanta vontade de transar quanto o parceiro ou parceira. Muitas vezes, isso acaba fazendo com que essas pessoas se obriguem a fazer sexo mesmo sem vontade, e isso é algo que com certeza não deveria acontecer.

Sentir menos desejo sexual que o parceiro

Apesar de quedas na libido também afetarem homens, normalmente é a mulher quem sente a necessidade de fingir estar com dores ou sono para não “ter de” transar. De acordo com a sexóloga Thais Plaza, situações assim ocorrem pela educação que, mesmo com diversos avanços, muitas mulheres ainda têm.

“A mulher, de certa forma, foi muito educada para servir, e não tanto para sentir, e ela não consegue, muitas vezes, ver o sexo e as relações afetivas e eróticas como um prazer para ela, como algo benéfico e positivo para ela”, afirma a especialista.

pes casal cama 0319 1400x800
Trum Ronnarong/Shutterstock

Essa falta de vontade, porém, não deveria precisar de uma justificativa para ser aceita pelo outro, assim como transar sem estar com vontade, já que algo essencial para o sexo é o consenso.

“Quando ela não tem vontade ou desejo, não deve fazer. Deve ter algo de total desejo, que passe por excitação e que seja positivo para ambos, para todos os envolvidos”, conclui Thais, e isso vale tanto para mulheres quanto homens.

Por outro lado, se a falta de libido é algo que incomoda a mulher, vale a pena buscar ajuda de um ginecologista e até terapeuta para investigar possíveis causas físicas ou emocionais para o desejo baixo, além de manter um diálogo aberto com o parceiro ou parceira sobre a situação.

Sexo: dicas, cuidados e mais