pop

Fuga constante, cena de morte no local real: o que esperar da 2ª temporada de Narcos

Pablo Escobar está voltando, e ele não vai parar de correr. A segunda temporada da série “Narcos” estreia na próxima sexta (2), na Netflix, e mal podemos esperar para ver a continuação da história do maior traficante de drogas da Colômbia.

Antes da maratona de episódios, porém, vale relembrar alguns pontos do enredo, espelhados na história real de Escobar (interpretado por Wagner Moura). Veja o que podemos esperar da 2ª temporada da série.

Cuidado: contém spoilers.

Segunda temporada de "Narcos"

Fuga de La Catedral

No final da 1ª temporada, o traficante escapa da prisão La Catedral e foge para o meio de uma floresta. É lá que o primeiro episódio da continuação começa, com vários soldados da Força Nacional perseguindo Escobar.

Esse é o mote da nova temporada, que vai focar no último ano de vida do traficante. Como sabemos por sua história real, Escobar morre em 1993, depois de um ano fugindo da polícia, do governo e inclusive de outros cartéis de drogas.

Enredo dinâmico

A primeira temporada de “Narcos” explicou toda a ascensão de Escobar no império de cocaína colombiano. Foram quase dez anos sintetizados em dez episódios, o que pode ter deixado a história um pouco confusa – embora condizente com a proposta.

Agora, os próximos episódios vão focar em apenas um ano, no qual Escobar é um fugitivo desejado por autoridades do mundo inteiro.

A fuga constante e a fúria do personagem, que fica ainda mais explícita em situações de perigo, prometem deixar a 2ª temporada muito mais enérgica.

pablo escobar narcos 0816 1400x800 1
netflix/reprodução

Vida dos personagens

Ao mesmo tempo em que Escobar é um traficante, ele é adorado em Medellín, na Colômbia. Os investimentos que ele faz na cidade com o dinheiro do cartel o tornam conhecido. Além disso, seu lado familiar em meio à turbulência da fuga é mostrado com mais atenção - o que preocupou Roberto Escobar, irmão de Pablo, na vida real.

Quem também ganha destaque por essa perspectiva são os agentes policiais Steve Murphy (Boyd Holbrook) e Javier Pena (Pedro Pascal), cujas vidas pessoais são mostradas com mais atenção.

Lado dramático da história

Escobar foge durante um ano, e o homem poderoso e intocável da primeira temporada é colocado em situações vulneráveis na segunda, o que escancara um lado mais sentimental do personagem.

A narração e composição com documentos originais, elementos muito utilizados na primeira fase da série, não se fazem tão necessários, pois a fuga é mais simples de ser contada. Isso tira parte do caráter documental de “Narcos”, abrindo espaço para uma nova visão da história.

Um episódio importante, que todos esperam ver na 2ª temporada, é a morte de Escobar. Wagner Moura e o produtor da série, Eric Newman, contaram ao site Rotten Tomatoes que a cena foi filmada no mesmo local em que o real traficante foi assassinado, o que adiciona uma carga extra de drama à temporada.

Longe do fim

Embora a terceira temporada de “Narcos” não tenha sido oficialmente confirmada pela Netflix, Newman já declarou que a série não termina com a morte de Escobar.

Segundo ele, a ideia é falar de toda a história do cartel de drogas na América Latina, que segue com outros poderosos traficantes e episódios tão relevantes quanto o do colombiano.

Na segunda temporada, é possível ver o crescimento do cartel de Cali, que na realidade tomou o poder de Escobar na Colômbia após sua morte. É possível que a suposta terceira temporada comece a partir daí. 

Além da série: Conheça o jogo em que você constrói um cartel com Pablo Escobar