mulher

Estabelecimentos em SP vão exigir comprovante de vacinação a clientes: restaurantes e outros

comprovante vacinacao covid 0821 1400x800
Rovena Rosa/Agência Brasil

Visando controlar a transmissão da COVID-19 em São Paulo após a volta do funcionamento normal de diversos locais, a prefeitura da cidade está prestes a lançar um “passaporte” da vacinação. Em breve, eventos e locais como restaurantes só poderão receber visitantes e clientes que tenham ao menos uma dose da vacina contra o vírus registrada no sistema da Secretaria de Saúde de São Paulo – e, com isso, estabelecimentos que desrespeitarem esta fiscalização poderão ser multados.

SP terá "passaporte sanitário" para entrar em estabelecimentos

Em uma coletiva de imprensa focada em anúncios sobre a vacinação de adolescentes em São Paulo, o prefeito da cidade, Ricardo Nunes (MDB) divulgou nesta segunda-feira (23) que, em breve, apenas pessoas vacinadas contra a COVID-19 com ao menos uma dose poderão acessar uma série de eventos e estabelecimentos. Com a recente flexibilização das restrições para espaços comerciais, diversas aglomerações têm acontecido nos últimos dias – e, com o “passaporte sanitário”, a ideia é prevenir situações assim.

“Nós vamos estar lançando essa semana um dispositivo para que as instituições que vão receber eventos, feiras, feiras de negócios, enfim, todos os eventos autorizados pela vigilância sanitária, um dispositivo de QR code que vai ler se a pessoa teve a primeira ou a segunda dose – ou seja, se ela está vacinada – e, assim, ter seu passaporte para adentrar os eventos autorizados”, revelou o prefeito na ocasião, confirmando também que restaurantes e locais semelhantes também terão de fiscalizar isso.

vacinacao covid 0821 1400x800
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Conforme explicou, a imunização poderá ser atestada nos estabelecimentos tanto a partir do comprovante de vacinação quanto pelo QR code em questão, a partir do aplicativo que será lançado. Apesar de este não ser o anúncio oficial sobre a nova medida, Nunes explicou também que serão aplicadas multas em estabelecimentos que permitirem a entrada de não-vacinados, e que o aplicativo deve ficar pronto até a próxima sexta-feira (27).

COVID-19: informações importantes