mulher

Anestesia da cesária causou doença incurável em atriz: entenda o que é aracnoidite adesiva

Desde que deu à luz o primeiro filho ao final de 2019, a atriz Mabel Calzolari iniciou uma batalha contra uma doença incurável chamada aracnoidite adesiva que a fez ser submetida a nove cirurgias – e, apesar de ser bastante rara, ela foi adquirida a partir de algo muito comum: a anestesia usada na hora da cesariana.

A atriz acabou morrendo nesta terça-feira (22), aos 21 anos, e comoveu as redes sociais. Ela deixou o filho pequeno, de apenas 1 ano, que é fruto do relacionamento com o também ator João Fernandes.

Mabel Calzolari: doença causada por anestesia da cesária

Mabel Calzolari já havia passado por inúmeras internações devido à aracnoidite adesiva. Na última passagem pelo hospital, ela realizou a nona cirurgia visando conter o avanço da doença – que é uma inflamação em estruturas do sistema nervoso e foi adquirida no parto cesáreo de Nicolas devido à anestesia.

Diagnóstico

Em 2019, alguns meses após dar à luz o filho, Mabel começou a apresentar falta de equilíbrio, quedas frequentes e falta de sensibilidade nos membros inferiores. Eventualmente, os sintomas de que algo não ia bem passaram a incluir também incontinência urinária e fecal – e, após diversos episódios destes problemas, ela buscou atendimento com uma médica endocrinologista.

Na ocasião, ela acreditava se tratar de consequências das flutuações hormonais do puerpério, mas, encaminhada pela especialista a um atendimento de emergência, ela foi prontamente internada no setor de neurologia de uma Unidade de Terapia Intensiva. Lá, exames de ressonância magnética foram realizados, e a atriz então soube que tinha uma rara condição de saúde chamada aracnoidite adesiva.

Para impedir a progressão do problema, ela vinha fazendo inúmeras cirurgias na coluna, passando pouco tempo fora do hospital.

Aracnoidite adesiva: o que é

De acordo com Tatiana Vilasboas, neurocirurgiã do Hospital San Gennaro, a aracnoidite adesiva é uma doença rara e incurável que afeta as estruturas do sistema nervoso. Conforme explica, este sistema é revestido por três membranas protetoras, a dura-máter (mais externa), a pia-máter (intermediária) e a aracnoide (mais interna). Nesta condição, a aracnoide fica inflamada – e isso gera as chamadas adesões.

“Esta inflamação causa uma adesão da membrana a estruturas adjacentes, como cérebro, medula, nervos e raízes nervosas”, explica a médica, ressaltando que, quando isso acontece, o paciente pode sofrer com dores crônicas e até ter comprometimento das estruturas citadas. Isso, por sua vez, gera problemas de mobilidade, como os demonstrados pela atriz.

Causas

Segundo Tatiana, além da reação à anestesia no momento do parto (que pode ser tanto a utilizada na cesariana quanto a usada para fins analgésicos no parto natural), a aracnoidite adesiva também pode ser causadas por traumas como acidentes, ferimentos por armas de foco ou armas brancas e cirurgias, bem como infecções (encefalite, meningite, etc.), e também pela aplicação de outras medicações via intradural (através das membranas do sistema nervoso).

Tratamento

A aracnoidite adesiva não tem cura, mas é possível, segundo a neurocirurgiã, realizar um tratamento paliativo para o alívio dos sintomas e complicações trazidas por ela. “O tratamento geralmente é voltado a reduzir a resposta inflamatória do organismo, evitando a adesão da aracnoide em raízes nervosas, à medula ou até mesmo ao cérebro”, afirma, ressaltando que evitar estre processo de cicatrização fibrótica pode ajudar a evitar a dor crônica e o comprometimento destas estruturas.

Além disso, há também outras abordagens que podem ser sugeridas pelo médico a depender do quadro do paciente. É o caso, por exemplo, de cirurgias que tentam minimizar danos já causados nas estruturas., como as feitas por Mabel. Em outros casos, é possível implantar eletrodos e bombas de medicação que são utilizados no tratamento da dor crônica.

Famosos e a saúde