mulher

Mãozinha inventada por enfermeira brasileira é reconhecida e elogiada por diretor da OMS

Depois de virar notícia em todo o mundo, a mãozinha de luvas inventada por uma enfermeira brasileira para confortar pacientes internados com COVID-19 recebeu elogios de Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Diretor da OMS elogia técnica de enfermeira brasileira

Oo líder da OMS publicou em seu perfil no Twitter a imagem que viralizou e, na legenda, escreveu:

“Sem palavras para expressar minha admiração aos profissionais da saúde na linha de frente nesta pandemia e as formas incríveis com que eles estão buscando confortar seus pacientes. Vocês têm muito a nos ensinar e há muito que devemos fazer para apoiá-los e protegê-los."

A chamada "técnica da mãozinha" foi inventada pela enfermeira Lidiane Melo, de 36 anos, que trabalha em um hospital na Ilha do Governador, na Zona Norte do Rio de Janeiro.

Simples, criativo e eficiente, o método consiste em unir duas luvas amarradas e cheias de água quente, que envolvem a mão do paciente internado em UTI, garantindo conforto, calma e melhora da circulação sanguínea.

Em entrevista ao site de notícias G1, Lidiane contou que a ideia surgiu por acaso, durante um dia intenso no plantão. “A mão (do paciente) estava muito fria. Enrolei em algodão ortopédico e atadura, que é uma prática prevista na enfermagem, mas não funcionou. (...) Pensei mais um pouco e coloquei a água morna dentro das luvas cirúrgicas e envolvi na mão dele”, relatou.

A “técnica da mãozinha” começou a ser usada em 2020, mas só foi divulgada em março deste ano, depois que a enfermeira encontrou a foto perdida no celular e resolveu compartilhar nas redes sociais.

Histórias emocionantes e inspiradoras