mulher

Cientistas desenvolvem tomate enriquecido para tratar Parkinson de forma mais barata

tomate fruta cesto 1220 1400x800
goffkein.pro/shutterstock

Um tomate geneticamente modificado pode ser o mais novo – e acessível – aliado no tratamento de Parkinson, doença degenerativa neurológica que pode causar tremores e lentidão nos movimentos.

Tomate com medicamento para tratar Parkinson

tomates vegetal cru 0917 1400x800
Lotus_studio/shutterstock

Desenvolvido por cientistas do Centro John Innes, na Inglaterra, o tomate enriquecido com um medicamento chamado L-DOPA (Levodopa) pode ser útil no controle do Parkinson, segundo estudo divulgado no dia 23 de novembro de 2020.

parkinson maos idoso 0219 1400x800
SpeedKingz/shutterstock

Há mais de 50 anos, o L-DOPA é o medicamento padrão para tratar o Parkinson. Normalmente, a droga é administrada em sua forma sintética, mas ela também pode ser encontrada em fontes naturais.

levodopa remedio parkinson 1220 1400x800
Sonis Photography/shutterstock

O L-DOPA é produzido a partir da tirosina, um aminoácido encontrado em uma grande variedade de alimentos. O que os pesquisadores fizeram foi inserir em tomates um gene que codifica a tirosinase, que é uma enzima que usa a tirosina, para construir moléculas como o L-DOPA, elevando o nível da substância no alimento.

tomate cortado metade faca 0917 1400x800
mburt/istock

O tomate foi a fruta escolhida pelos cientistas porque, além de já ser fonte natural de L-DOPA, também pode ser produzido em larga escala.

O que você precisa saber sobre Parkinson