mulher

Máscara que virou febre entre os famosos não previne COVID-19, alerta médica

Devido à pandemia de COVID-19, o uso de máscara de proteção pela população se fez necessário e, com isso, diversos modelos diferentes do item começaram a surgir. Um deles, inclusive, virou moda entre famosos por ter uma estética diferente e se ajustar melhor ao rosto – mas, apesar de ser popular a ponto de estar sempre esgotado nas lojas, esse tipo de máscara não é tão eficaz na prevenção do vírus.

Máscaras de tricô são contraindicadas por especialistas

Atualmente, é possível encontrar máscaras de proteção variadas, com tecnologias inusitadas, diferentes formas de fixar ao rosto e inúmeras estampas, mas um tipo em especial tem feito sucesso entre celebridades. Nos últimos meses, famosos apareceram com máscaras de tricô feitas com tecido elástico, mas este modelo é, na realidade, perigoso.

Em seu perfil no Twitter, a médica Denise Garrett, epidemiologista que atua nos Estados Unidos e é vice-presidente do Sabin Vaccine Institute, dá dicas constantes de como se proteger do novo coronavírus enquanto não há vacinas e, recentemente, ela abordou certas características contraindicadas em máscaras. Com isso, ela foi questionada sobre as máscaras de tricô que estão na moda – e respondeu que elas não devem ser usadas.

“Essa máscara é eficaz? Muita gente comprando e usando. Eu comprei para minha mãe e nós já tivemos Covid, mas fico em dúvida”, perguntou uma seguidora da médica, e ela foi categórica na resposta. “É tricô? Não!!!!! De jeito nenhum! Máscara boa é de algodão fechado (muitos fios) de três camadas”, escreveu a epidemiologista, que também contraindica o uso de máscaras com costuras no meio do tecido.

Segundo ela, é importante evitar estas características porque os buraquinhos feitos no tecido pela agulha ou típicos de tramas de tricô permitem a passagem do vírus – e, para o biólogo Átila Iamarino, que também abordou o assunto no Twitter, esse tipo de item não cria a barreira necessária para impedir o contágio pela doença. “É a mesma coisa que usar faixa de Miss como cinto de segurança”, escreveu ele.

Recentemente, inclusive, uma das famosas que aderiram à moda da máscara de tricô, Fabiana Justus, se disse arrependida pela atitude após contrair a doença. “Eu estava usando máscaras cirúrgicas, mas inventei semana passada de usar as de tricô, que são lindas, super estilosas. Não tô dizendo que não são eficientes, mas tenho usado elas desde semana passada e agora não sei o quanto protege”, disse ela no Instagram.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), máscaras caseiras de tecido devem ter três camadas, sendo a externa de tecido resistente à água, a interna de tecido absorvente e a intermediária de algodão para servir como um “filtro”. Já para saber se a máscara funciona, autoridades em saúde aconselham assoprar uma vela usando o item – e, aqui, a chama não deve se mover muito ou se apagar.

Prevenção à COVID-19