explore

É possível que população brasileira seja vacinada contra COVID-19 já em janeiro, diz Doria

covid 19 vacina coronavirus 0720 1400x800
arda savasciogullari/Shutterstock

Em entrevista veiculada nesta segunda-feira, 27 de julho, o governador de São Paulo, João Doria, deu uma notícia animadora sobre uma das vacinas que estão sendo testadas no Brasil. Segundo ele, uma vez que a CoronaVac – composto chinês que o Instituto Butantan, em São Paulo, está autorizado a produzir – passar pela terceira fase de testes, é possível ter a população do Estado vacinada já em janeiro de 2021.

Doria prevê aplicação da vacina em janeiro de 2021

joao doria coletiva 0620 1400x800
governosp/Twitter

Na Rádio Itatiaia, o governador foi questionado sobre a vacina chinesa que está sendo testada em 9 mil brasileiros – e, ao responder, ele deu previsões bastante animadoras sobre a produção e a distribuição do composto, que já está na terceira e última fase de testes assim como a vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford. Segundo ele, é possível ter as doses necessárias para imunizar os brasileiros até o fim do ano.

“Esta fase três leva noventa dias, ou seja, até outubro ela estará concluída. Se concluída for, e com bons resultados - e há essa expectativa, embora tenhamos que respeitar a fase de testes -, a vacina já poderá começar a ser produzida, mediante autorização da Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária], na segunda quinzena de novembro ou no máximo nos primeiros dias de dezembro”, afirmou o governador.

Além disso, ele deu também uma previsão de data para o composto ser aplicado na população. “A quantidade necessária para iniciar a imunização da população brasileira, ela pode ser aplicada já no início de janeiro com o SUS [Sistema Único de Saúde], com aplicação gratuita em toda a população. O Instituto Butantan fornecerá as vacinas ao Ministério da Saúde, que distribuirá aos estados”, afirmou.

vacina covid coronavirus 0720 1400x800
joel bubble ben/Shutterstock

Doria então enfatizou que é preciso aguardar com paciência a realização dos testes necessários, mas afirmou que, segundo informações dos especialistas em infectologia envolvidos no processo, as chances de o composto se mostrar seguro e eficaz são grandes. “Tudo indica que nesta terceira fase não teremos intercorrências”, afirmou o governador, dizendo o que espera do primeiro semestre de 2021.

“Abril do ano que vem já teremos, com toda segurança, a imunização e a tranquilidade que as pessoas poderão celebrar festas, atividades, eventos musicais ou esportivos, sem risco para sua saúde ou sua vida”, concluiu.

Saúde