explore

Começa campanha de vacina contra a gripe; imunização ajuda a conter crise do coronavírus

coronavirus exame saude laboratorio 0320 1400x800
Soni's/Shutterstock

Começa nesta segunda-feira (23) a Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe para idosos e profissionais da saúde. Apesar de não imunizar contra o novo coronavírus, a medida pode ajudar o governo a lidar melhor com a crise causada pela pandemia, uma vez que pode reduzir o número de internados em hospitais e também aumentar a eficácia do diagnóstico de COVID-19, cujos sintomas são similares aos da gripe.

Após a primeira fase, a campanha contará com mais duas etapas: de imunização dos doentes crônicos, professores e profissionais das forças de segurança e salvamento a partir de 16 de abril, e depois, a partir de 9 de maio, das crianças entre 6 meses e 6 anos, pessoas com 55 a 59 anos, gestantes e puérperas, pessoas com deficiência, povos indígenas, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade.

Vacina para a gripe é recomendada em meio à pandemia de COVID-19

vacina injecao ciencia 0220 1400x800
PhotobyTawat/Shutterstock

Com base na evolução dos casos de COVID-19, a doença desencadeada pelo SARS-CoV-2, o Ministério da Saúde recomenda a vacinação contra a gripe. Embora a imunização para a influenza vise a proteção para três tipos de vírus (H1N1, H3N2 e Influenza B) e não apresente eficácia contra o SARS-CoV-2, o governo explica que esta é uma forma de reduzir a demanda de pacientes com sintomas respiratórios e, assim, acelerar o diagnóstico para COVID-19.

Além desta, outras orientações importantes contra a difusão do novo coronavírus são: manter uma rotina de higienização das mãos, seguir etiqueta respiratória, reduzir o contato social e evitar abraços, beijos no rosto e apertos de mãos.

Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe

vacina no braco 1218 1400x800
PanyaStudio/shutterstock

A Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe terá duração de dois meses. A meta é vacinar 67,6 milhões de pessoas no País.

De acordo com o Ministério da Saúde, em um primeiro momento, serão vacinados os idosos e os trabalhadores de saúde, que atuam na linha de frente do atendimento à população.

A decisão é uma medida de proteção a esses públicos, em especial aos idosos, já que a vacina é uma proteção aos quadros de doenças respiratórias mais comuns.

Outra preocupação é evitar que as pessoas acima de 60 anos, público mais vulnerável ao coronavírus, precise fazer deslocamentos no período esperado de provável circulação do vírus, no país.

idosos coronavirus mascara 0320 1400x800
GagliardiPhotography/Shutterstock

A segunda fase da campanha começa no dia 16 de abril, quando serão imunizado os professores, profissionais das forças de segurança e salvamento, além de doentes crônicos.

No dia 9 de maio, acontece o Dia D. Na data, o foco são as crianças de seis meses até seis anos (5 anos, 11 meses e 29 dias), pessoas com mais de 55 anos, gestantes, mães no pós-parto (até 45 dias após o parto), população indígena e portadores de condições especiais.

As pessoas que não fazem parte do público-alvo da campanha podem ser imunizadas por meio da rede privada.

Coronavírus