Governo incentiva empresas a adotarem home office para conter coronavírus

coronavirus ilustracao 0320 1400x800
Atlas Studio/Shutterstock

Nesta sexta-feira (13), o Ministério da Saúde anunciou um conjunto de medidas e recomendações para que os estados consigam conter novos casos de COVID-19, a doença pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2).

Dentre elas, está o incentivo ao trabalho remoto e alterações nos horários de expediente para evitar aglomerações.

Atualmente, o Brasil registra os primeiros casos de transmissão comunitária do SARS-CoV-2 no Rio de Janeiro e em São Paulo, quando não é possível detectar a cadeia de transmissão do vírus. Isso significa que ele não depende mais de casos "importados" de países afetados para se disseminar no território nacional.

Prevenção ao novo coronavírus: medidas sugeridas

mascara coronavirus prevencao 0220 1400x800
DimaBerlin/Shutterstock

Ao atualizar o quadro do novo coronavírus no Brasil, o Secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, falou em coletiva à imprensa fez recomendações de medidas não farmacológicas à população, empresas e governos estaduais e municipais.

O representante da pasta frisou que se tratam de recomendações, não determinações, e que cada estado e município deve analisá-las de acordo com suas realidades.

Home office e mais

razones para no llevar la computadora en un viaje 2
Ingram Publishing/thinkstock

Wanderson alertou que a atual recomendação do governo é que o deslocamento para o trabalho seja reduzido.

Dessa maneira, empresas são incentivadas a realizarem reuniões virtuais, cancelarem viagens não necessárias e, quando possível, adotarem um esquema de trabalho remoto (home office).

Também é recomendada a redução do fluxo urbano, com estímulo à adoção de horários alternativos de expediente e escalas diferenciadas, quando possível, para a redução de aglomerações no transporte público em horários de pico.

ilustracao pessoas mascara saude 0320 1400x800
Angelina Bambina/Shutterstock

Eventos de massa

O Ministério da Saúde também recomendou que grandes eventos governamentais, esportivos, artísticos, culturais, políticos, científicos, comerciais, religiosos e outros sejam cancelados ou adiados pelos organizadores. Não sendo possível, recomenda-se que o evento ocorra sem público. Cruzeiros turísticos também devem ser adiados.

Instituições de ensino

A sugestão para escolas, universidades e outras instituições de ensino é a de que planejem a antecipação de férias, visando reduzir o prejuízo do calendário escolar, ou façam uso de ferramentas de ensino a distância.

Coronavírus