mulher

O que você come ou não pode ser gatilho para hipotireoidismo: médica lista alimentos

peixe salmao salada 1016 1400x800
Leontura/istock

Atualmente, 18 milhões de brasileiros convivem com o hipotiroidismo, segundo levantamento “Hipotiroidismo em Foco”, produzido pela farmacêutica Sanofi. O distúrbio tireoidiano não tem uma causa conhecida, mas, segundo a endocrinologista Tassiane Alvarenga, do Hospital das Clínicas de São Paulo, hoje já é possível determinar alguns gatilhos que favorecem o desenvolvimento da doença em certos pacientes - e a ausência de alguns alimentos na dieta, como sal e peixe, é um deles.

Hipotireoidismo: o que é?

tireoide glandula hormonios 0519 1400x800
Kateryna Kon/Shutterstock

O hipotireoidismo é caracterizado pela baixa produção dos hormônios tireoidianos, T4 (tiroxina) e T3 (triiodotironina). No corpo, as substâncias são responsáveis por funções metabólicas, cardíacas, gastrointestinais, neurológicas, além de atuarem no crescimento de células.

Segundo explicou Tassiane durante palestra do Viva Saúde, Programa de Relacionamento das Drogarias Pacheco e Drogaria São Paulo, mediada por Drauzio Varella, a comunidade médica ainda não desvendou a causa propriamente dita do distúrbio, mas atualmente busca desvendar possíveis gatilhos que levam ao desenvolvimento do hipotireoidismo em determinados pacientes.

Gatilhos para o distúrbio

O principal deles, de acordo com a médica, é a chamada tireoidite de Hashimoto, doença autoimune em que o organismo ataca a própria tireoide.

tireoide 0618 1400x800
Magic mine/Shutterstock

“Em determinado momento da vida, o organismo produz anticorpos que destroem o tecido tireoidiano”, explica a endocrinologista sobre a doença. Assim como o hipotireoidismo, a tireoidite de Hashimoto não tem uma causa específica, e muitas variáveis podem contribuir para o seu desenvolvimento, como infecções (virais e bacteriana), contato com poluentes ambientais (como o bisfenol), falta de atividades físicas, estresse, insônia ou mesmo uma má alimentação.

A alimentação, inclusive, é também um possível gatilho para o hipotireoidismo em si, e Tassiane explica que a ausência de certos itens na dieta pode contribuir para o distúrbio.

O iodo, por exemplo, é fundamental para a boa saúde da tireoide. Atualmente, por recomendação da Organização Mundial da Saúde, o sal de cozinha vendido é suplementado com a substância, mas a endocrinologista lembra que há marcas sem iodo no mercado e adverte contra dietas restritivas que indicam seu uso.

sal colher 0320 1400x800
Nitr/shutterstock

Além do sal, outros alimentos ricos em iodo que podem contribuir para o funcionamento saudável da tireoide e diminuir o risco do distúrbio, segundo Tassiane, são:

  1. Peixes
  2. Frutos do mar (camarão, lagosta, mexilhão, etc.)
  3. Ovos
  4. Ervilhas
  5. Vagem
  6. Banana
  7. Morango
  8. Feijão branco

Como identificar o hipotireoidismo

cansaco tristeza fadiga 1018 1400x800
Andrzej Wilusz/shutterstock

Quando a produção hormonal da tireoide é afetada, o corpo sinaliza que algo está acontecendo com ele.

Segundo Tassiane, pacientes que normalmente buscam seu atendimento no consultório e apresentam hipotireoidismo citam fadiga, falta de energia e de disposição, constipação intestinal, dificuldade em memorizar conteúdos, falta de concentração, problemas com libido e tristeza como sintomas.

Ganho de peso também é um sinal muito citado pelos pacientes, embora a médica enfatize que a doença influencia mais na retenção de líquido do que no acúmulo de gordura.

Problemas metabólicos