Sangue raro, como o de Gabi em "Bom Sucesso", existe: entenda os casos

bom sucesso gabriela 1019 1400x800
Reprodução/GloboPlay

Na novela “Bom Sucesso”, a personagem Gabriela (Giovanna Coimbra) vive um momento delicado. Por carregar um sangue muito raro em seu organismo, chamado fenótipo Bombaim, a menina encontra dificuldade de encontrar um doador compatível com ela.

Extremamente raro, esse tipo de sangue é tão difícil de ser encontrado que, em 2017, um bebê colombiano foi salvo por um doador do Ceará. Entenda o que é esse sangue:

Gabi de “Bom Sucesso” tem sangue raro

bom sucesso paloma gabriela acidente 1219 1400x800
Reprodução/GloboPlay

Nos últimos capítulos de “Bom Sucesso”, Gabriela, a filha da protagonista Paloma (Grazi Massafera), sofreu um grave acidente .

Consequentemente, a jovem acabou perdendo muito sangue e precisa receber uma transfusão de sangue o quanto antes.

A grande questão é que Gabi carrega o sangue chamado fenótipo Bombaim, que a coloca em uma situação delicada, já que nenhum dos parentes mais próximos têm sangue compatível com o seu.

Sangue Bombaim: o que é

sangue corrente sanguinea 1116 1400x800
PeopleImages/iStock

Chamado também de “falso O”, fenótipo Bombaim é um dos tipos sanguíneos existentes.

Normalmente, quando se fala em tipos sanguíneos, são consideradas oito possibilidades - as variações positivas e negativas dos fenótipos A, B, AB e O. Porém, o hematologista Fabio Ribeiro Jansen Ferreira explica que, na verdade, existem mais de 50 tipos sanguíneos possíveis.

Para determiná-los, é preciso analisar o antígeno, proteína presente na membrana do glóbulo vermelho, presente no sangue. "Há diferentes antígenos no organismo, sendo que algumas pessoas podem ter ausência ou excesso de alguns", ressalta o hematologista Alfredo Mendrone Junior, membro do Comitê de Hemoterapia e Terapia Celular da Associação Brasileira de Hematologia.

No caso do fenótipo Bombaim, segundo informações do hospital Albert Einstein, a característica que o descreve é a ausência de antígenos A e B nas hemácias - detalhe que configura o fenótipo sanguíneo O.

Não à toa, o Bombaim é classificado como "sangue hh" (tipo O) quando a investigação básica da tipagem sanguínea não é realizada em hemocentros especializados.

Entretanto, devido à presença do anticorpo anti-h, testes de compatibilidade mostraram que o Bombaim se mostrou fortemente adverso a todos os doadores do grupo “O”, o que fez o Bombaim ser classificado como “falso O”.

Sangue raro

exame sangue desnecessario 1116 1400x800
Constantine Pankin/Shutterstock

O sangue Bombaim é extremamente raro, como mostra a novela. De acordo com Mendrone Junior, entre os caucasianos, o sangue aparece apenas uma a cada 150 mil pessoas; no sudeste asiático a frequência é maior: 1 a cada 10 mil pessoas. No Brasil, apenas 11 famílias carregam o fenótipo, segundo os registros.

Por ser tão raro, um jovem do Ceará doou sangue para um bebê da Colômbia em 2017.

A doação internacional aconteceu depois que o bebê, que apresentava um sangramento digestivo grave e anemia, não encontrou uma pessoa em seu país com o fenótipo Bombaim.

Após pedido do governo colombiano à Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), o rapaz doou 370 mililitros de sangue - parte destinada ao bebê e parte usada de reserva para o banco de sangue da Colômbia.

Bom Sucesso