Filha de Flávia Alessandra diz ter compulsão alimentar: “Sete pratos de arroz e feijão”

giulia costa flavia alessandra correndo 0919 1400x1000
Dilson Silva/AgNews

A filha de Flávia Alessandra, Giulia Costa, fez um desabafo nas redes sociais em que revelou sofrer de compulsão alimentar.

Em uma conversa honesta com os fãs, no Stories do Instagram, a estudante de 19 anos falou como o distúrbio a atinge e o que tem feito para conseguir contornar a situação.

Giulia Costa desabafa sobre compulsão alimentar

giulia costa 1119 1400x800
Dilson Silva / AgNews

Como de costume, Giulia utilizou a rede social de imagens para conversar com o público que acompanha seu dia a dia pela internet.

Através da ferramenta de perguntas do Stories do Instagram, Giulia respondeu a algumas curiosidades de fãs sobre a sua vida, e uma fã questionou se a estudante tinha "compulsão" por doce.

Ao responder a dúvida do fã, Giulia revelou sofrer do distúrbio, sem focar necessariamente em alimentos açucarados, mas disse ter aprendido a lidar com ele ao longo do tempo.

De acordo com a estudante, antigamente ela tinha um comportamento compulsivo com comida muito mais extremo. “Era muito mais ansiosa, era muito pior”, disse a jovem.

giulia costa praia 1119 1400x896
Dilson Silva / AgNews

Uma das estratégias usadas por Giulia para controlar a compulsão foram atividades físicas voltados ao controle do estresse e a busca de autoconhecimento.

“Hoje em dia eu aprendi a me controlar, comecei a meditar, a fazer ioga, isso pode parecer besteira, mas me ajudou muito.”

Todavia, ainda que distúrbio alimentar tenha melhorado, ele ainda permanece no cotidiano da estudante.

“Ainda hoje eu esqueço e não penso muito, porque isso é a compulsão, né? A gente não pensa [ao comer]. Esse final de semana eu bati sete pratos de arroz e feijão.”

Compulsão alimentar

compulsao alimentar fome 0119 1400x800
Photographee.eu/ShutterStock

Comer compulsivamente, sem controle da quantidade de alimentos ingeridos e mesmo quando saciado, chegando muitas vezes a passar mal, são algumas das características da compulsão alimentar - algo bem diferente da gula, embora o termo seja usado erroneamente como sinônimo.

Apesar de Giulia definir seu comportamento como compulsivo, sua fala não deixa claro se o quadro trata-se de um distúrbio diagnosticado ou de um modo genérico de descrever a fome exagerada. É importante lembrar que, para que o transtorno seja identificado, é necessária a avaliação de um psiquiatra.

As causas do transtorno ainda não são completamente esclarecidas pela comunidade médica. Entretanto, é comum que pessoas que desenvolvam a compulsão alimentar carreguem consigo outros quadros de saúde, como depressão, ansiedade, transtorno bipolar e abuso de substâncias.

giulia costa 1400x2106
Dilson Silva/AGNews

“As pessoas que têm compulsão alimentar comem demais principalmente quando estão lidando com uma situação estressante, mas não adianta mudar os hábitos alimentares sem investir também em tratamento psicológico” ressalta a terapeuta Erica Aidar.

O tratamento para a compulsão alimentar envolve entender qual é a relação do paciente com a comida por meio de entrevistas com profissionais da saúde (psicólogos ou psiquiatras).

Erica também destaca os benefícios de atividades físicas no processo. "A atividade física, por exemplo, além de ser importante para queimar as calorias consumidas exageradamente, libera substâncias no corpo que diminuem os níveis de depressão e ansiedade”, explica a psicóloga.

Tem uma dúvida de saúde? Envie para vixresponde@vix.com e ela poderá ser respondida por um especialista em nossa nova coluna: VIX Responde.

Distúrbios alimentares