Casos de dengue crescem quase 600% em 1 ano: veja as recomendações do governo

mosquito dengue aedes aegypti 0919 1400x800
Thammanoon Khamchalee/ShutterStock

O número de casos de dengue aumentou em quase 600% no intervalo de um ano no Brasil. Os números são do Ministério da Saúde, que reforça um plano de conscientização sobre a doença e outros quadros de saúde, como o chikungunya e zika - que também aumentaram no último ano.

Dengue aumenta quase 600% em 1 ano no Brasil

crianca doenca febre 0319 1400x800
Rawpixel.com/Shutterstock

Em nota enviada ao VIX, o Ministério da Saúde informa que foram registrados 1.439.471 casos de dengue no país até o dia 24 de agosto de 2019. O número ilustra um aumento de 599,5% frente aos 205.791 casos verificados no mesmo período em 2018.

O número de óbitos pela doença também teve aumento, de 419%. Os valores passaram de 141 em 2018 para 591 mortes em 2019.

Segundo o Ministério da Saúde, a proporção de casos em relação ao número de habitantes está em 690,4/100 mil habitantes.

As regiões Centro-Oeste e Sudeste são as que apresentam a maior incidência: 1.196.1 casos por 100 mil habitantes e 1.139,2 casos por 100 mil habitantes, respectivamente.

Quando se analisam as Unidades da Federação (UFs) do país, o destaque vai para Minas Gerais (2.239,3 casos/100 mil hab.), Goiás (1.561,6 casos/100 mil hab.), Espírito Santo (1.493,3 casos/100 mil hab.), Mato Grosso do Sul (1.466,1 casos/100 mil hab.) e Distrito Federal (1.194,4 casos/100 mil hab.).

Chikungunya e zika

zika virus exame 0119 1400x800
Jarun Ontakrai/shutterstock

Dengue não foi a única doença analisada pelo Ministério da Saúde. Casos de chikungunya e zika vírus também entraram na mira da pasta do governo e apresentaram aumento na incidência.

Os dados apontam para um aumento de casos de chikungunya no país: foram 110.627 casos registrados até 24 de agosto de 2019, número bem maior comparado aos 76.742 de 2018.

No mesmo período, foram confirmados 57 óbitos no Brasil pela doença. O Rio de Janeiro registrou 47, a Bahia, 5 e o Maranhão, Paraíba, Minas Gerais, Distrito Federal e Espírito Santo, 1 cada.

dengue aedes 1400x800 0617
khlungcenter/Shutterstock

A incidência de zika também apresentou aumento. Até 10 de agosto de 2019, o Ministério da Saúde verificou 9.813 casos prováveis da doença no país. No mesmo período de 2018, foram 6.669. Neste ano, ainda foram confirmados dois óbitos pelo vírus no estado da Paraíba.

Vale lembrar que dengue, chikungunya e zika são transmitidos pelo mesmo agente, o mosquito Aedes aegypti, o que faz com que, muitas vezes, as doenças sejam confundidas, já que alguns sintomas são realmente parecidos.

Prevenção da dengue, chikungunya e zika: recomendações do governo

vaso mosquito dengue 0519 1400x800
SOORACHET KHEAWHOM/Shutterstock

Para que o aumento de casos de dengue, chikungunya e de zika não seja algo constante, o Ministério da Saúde pede para que a população reforce ações de prevenção às doenças.

Durante o período de seca, por exemplo, a recomendação do governo é que a população dedique 10 minutos do dia para verificar se existe algum tipo de depósito de água no quintal ou dentro de casa, por exemplo.

Outra medida válida é escolher um dia da semana para lavar com água e sabão e esfregar com escova os pequenos depósitos móveis, como vasilha de água do animal de estimação e vasos de plantas.

O descarte de lixo é outra atitude importante para que criadouros do mosquito não sejam acumulados, assim como evitar acumular lixo no quintal ou jogar em praças e terrenos baldios.

Limpar as calhas, retirando as folhas que se acumularam no inverno, também é importante para evitar pequenas poças de água.

Dengue, chikungunya e de zika