Cirurgia de adenoide e amígdala: como funcionam e quando são necessárias

medico garganta amidala 0819 1400x800
Robert Przybysz/shutterstock

Todos nascemos com adenoide e amígdalas e ambas têm funções semelhantes: proteger organismo contra agentes infecciosos que entram no corpo pela respiração. Em alguns casos, no entanto, também podem provocar problemas de saúde.

Adenoide e amígdala: o que são e quais problemas podem ter

A adenoide, popularmente conhecida como carne esponjosa, é o tecido linfoide que fica na parte de trás do nariz e acima das amígdalas, na garganta. Quando ela cresce demais, caracteriza uma hipertrofia, impedindo a passagem correta do ar pelo nariz.

nariz narinas mulher 0819 1400x800
Big Foot Productions/shutterstock

Bastante comum em crianças, o crescimento da carne esponjosa, segundo informações do Ministério da Saúde, pode se agravar na puberdade.

Segundo informações do Hospital Paulista, referência em Otorrinolaringologia, os principais sintomas da hipertrofia da adenoide são: respiração permanente pela boca e/ou ruidosa, apneia do sono, ronco, coriza persistente e nariz entupido.

Já as amígdalas são estruturas localizadas perto da garganta e importantes especialmente durante a infância e adolescência. Apesar do efeito protetor, podem ser causa de problemas quando ficam inflamadas (amidalite).

amigdala amidalite garganta 0819 1400x800
TeraVector/shutterstock

A amidalite não é uma doença grave, mas requer cuidados especiais, sobretudo no diagnóstico, pois pode ser provocada por vírus, bactérias ou pela associação dos dois, explica o infectologista Otelo Rigato Junior, do Hospital Sírio-Libanês.

Doença inflamatória, ela atinge a região da amígdala e garganta, ocasionando placas de pus. Os sintomas mais comuns da amidalite são: inchaço, dor e vermelhidão dos gânglios do pescoço, febre e mau hálito.

Tratamento

nariz narina crianca 0519 1400x800
Big Foot Productions/shutterstock

Não existe tratamento medicamentoso para a hipertrofia da adenoide, sendo a cirurgia a única maneira de combater o problema, explica Raimar Weber, otorrinolaringologista do Hospital Infantil Sabará. O procedimento é simples e, geralmente, realizado sob anestesia geral.

O tratamento da amidalite pode variar de acordo com a causa. Se provocada por vírus, a inflamação normalmente é tratada com remédios anti-inflamatórios não hormonais. Na amigdalite bacteriana, é necessário o uso de antibióticos, além de medicações de suporte, como dipirona e paracetamol, para controle de dor e febre.

Cirurgia

No caso de hipertrofia da adenoide, diferentes equipamentos que podem ser utilizados para a cirurgia de retirada. A curetagem tradicional vem cada vez mais caindo em desuso, por sua remoção não controlada do tecido.

Atualmente, é mais comum a utilização de equipamentos precisos, dentre eles o microdebridador, que é uma lâmina que remove o tecido cortando e aspirando-o, e a ablação controlada, uma ponteira de energia de radiofrequência que dissolve o tecido e o aspira.

garganta amidalas inflamadas boca aberta 0917 1400x1000
tudmeak / iStock

A cirurgia para retirada de amígdalas para tratar amidalite é uma opção apenas em casos mais graves. A operação da remoção das amígdalas pode ser realizada em duas situações: obstrução das vias aéreas e infecções de repetição.

A cirurgia de amígdalas, quando realizada em crianças, costuma ter um pós-operatório tranquilo. Durante uma semana existe um pouco de dor, mas que é bem controlada com analgésicos. Também há necessidade de repouso e de uma dieta específica. Após uma semana, a criança retoma as atividades normais.

Doenças respiratórias