Tratamento não-hormonal da endometriose se dá de 4 formas: veja quem pode fazer

endometriose utero 3d 0219 1400x800
sciencepics/Shutterstock

Caracterizada pelo crescimento do endométrio fora do útero, a endometriose afeta mulheres em idade reprodutiva e provoca dor nos ovários, no intestino, ao urinar, ao fazer sexo e pode também dificultar a gravidez.

O tratamento mais comum e normalmente bem tolerado para a endometriose é hormonal, com uso de pílulas anticoncepcionais. O contraceptivo é uma combinação de hormônios e um deles é um parente da progesterona, que reduz os focos de endometriose. Ao tomar a pílula, a menstruação fica mais curta e os sintomas da doença são aliviados.

dor colica endometriose 0219 1400x800
Photographee.eu/Shutterstock

No entanto, existem casos particulares de pacientes que não se beneficiam de tratamento hormonal para endometriose, especialmente quando a condição se manifesta de forma mais intensa. Em seu perfil no Instagram, a ginecologista Luciana Deister explica que, para estas mulheres, o recomendável então é adotar alternativas não-hormonais.

Como tratar endometriose sem hormônios

Como a endometriose é uma doença autoimune, inflamatória e dependente de estrogênio, um dos principais hormônios femininos, é preciso ter em mente que a “boa relação” com a condição deve ser construída no dia a dia e os efeitos, sem o suporte de hormônios, podem demorar um pouco mais a serem sentidos. Conheça as opções de tratamentos indicados pela profissional:

1. O primeiro passo é manter uma alimentação balanceada, rica em nutrientes e compostos com ação anti-inflamatória e antioxidante, preferencialmente com baixo índice glicêmico.

danca exercicio zumba 1116 1400x800
Christopher Futcher/istock

2. É importante ainda que a mulher pratique exercícios físicos diariamente, uma vez que eles ajudam a aumentar os níveis sistêmicos de várias citocinas anti-inflamatórias. E se você não gosta do ambiente da academia, saiba que a dança, por exemplo, é capaz de diminuir os sintomas intensos da endometriose.

3. A profissional ainda indica a manutenção de uma rotina de sono de boa qualidade. Dormir bem influencia no equilíbrio hormonal, no sistema imunológico e no sistema antioxidante natural do corpo.

sono descanso dormir 0419 1400x800
David Prado Perucha/shutterstock

4. Por fim, segundo a ginecologista, é preciso cuidar para evitar exposição a disruptores endócrinos, como bisfenol A (BPA), ftalatos e parabenos, por exemplo.

Endometriose: sintomas e diagnóstico

Entre os principais sintomas da endometriose estão: dores pélvicas, fadiga, diarreia ou constipação, inchaço, náusea, desconfortos na relação sexual e sangramento excessivo durante e no intervalo da menstruação.

endometriose 0418 1400x800
Shidlovski/Shutterstock

A endometriose normalmente demora para ser diagnosticada, uma vez que seus sintomas são bastante amplos. Exames de sangue, de imagem e físicos podem pré-determinar a existência da doença, porém o diagnóstico correto só é feito por biópsia.

Após o diagnóstico, cabe ao ginecologista identificar o grau e o comportamento da endometriose na paciente para sugerir o tratamento adequado, incluindo a necessidade de abordagens cirúrgicas.

Tem uma dúvida de saúde? Envie para vixresponde@vix.com e ela poderá ser respondida por um especialista em nossa nova coluna: VIX Responde.

Dúvidas sobre endometriose