Doença do Beijo afeta mais as crianças: entenda como ocorre a contaminação

mae beija bebe 0819 1400x800
theshots.co/shutterstock

Popularmente conhecida como Doença do Beijo, a Mononucleose Infecciosa é uma condição causada pelo vírus Epstein-Barr (EBV), conduzido principalmente por meio da saliva, e que afeta principalmente as crianças. O hábito de beijar os filhos pequenos na boca pode, portanto, ser grande fator de risco para a contaminação.

Doença do Beijo: como ocorre a contaminação

Além do beijo, a Mononucleose Infecciosa pode ser transmitida por meio do compartilhamento de objetos pessoais, por exposição à tosse ou espirro, explica Claudia Conti, pediatra do Grupo São Cristóvão Saúde.

mao recem nascido bebe 1119 1400x800
DonyaHHI/ShutterStock

A melhor maneira de prevenir a doença é evitar que a criança leve à boca objetos utilizados por outras crianças ou adultos. A médica ainda indica que os pais de crianças pequenas evitem beijá-las na boca e sempre higienizem as mãos antes de pegá-las no colo, reduzindo assim o risco de contaminação.

mae crianca beijo 0119 1400x800
MAZNEV GENNADY/shutterstock

Após o contato, o vírus fica incubado por cerca de quatro a oito semanas antes de se manifestar. O infectologista Jorge Isaac Garcia, do Grupo São Cristóvão Saúde, explica que, muitas vezes, a doença é confundida com uma gripe, pois a pessoa apresenta sintomas semelhantes, como febre, fadiga, dor e inflamação na garganta, dor de cabeça e sensação de mal-estar.

beijo mae bebe 0918 1400x800
Denis Val/shutterstock

Ao apresentar o quadro de mononucleose, o indivíduo excreta o vírus até 18 meses após a infecção. Nesse período, ele pode infectar outras pessoas durante contato próximo ou prolongado.

Há ainda outras formas de contágio, que são mais raras, como em casos de contaminação por transfusão de sangue e via transplacentária, quando a gestante adquire o vírus na gravidez e transmite ao feto pela placenta.

De acordo com a pediatra, estima-se que mais de 90% da população adulta já contraiu o vírus em algum momento da vida. Na maioria dos casos, os sintomas são leves e a pessoa não percebe que foi contaminada.

Porém, no caso das crianças, um quadro comum pode evoluir para uma infecção secundária, levando à necessidade de internação e acompanhamento médico.

fala crianca bebe 0919 1400x800
Mila Supinskaya Glashchenko/Shutterstock

A suspeita de contaminação pela Doença do Beijo pode ser indicada em um hemograma. Se o exame detectar a presença de anticorpos heterofilos e/ou a presença de anticorpos específicos, a presença do vírus da Mononucleose pode ser confirmada. O tratamento inclui repouso e uso de medicação para redução dos sintomas, conforme orientação do médico.

Tipos de vírus