AVC isquêmico: veja quais os sintomas do problema conhecido como infarto cerebral

cerebro epilepsia convulsao 0719 1400x800
Kateryna Kon/Shutterstock

A Sociedade Brasileira de Doenças Cerebrovasculares afirma que o AVC (Acidente Vascular Cerebral) está entre as doenças que mais causa a morte dos brasileiros. E quando não leva a óbito, aproximadamente 70% das pessoas não voltam a trabalhar por causa das sequelas deixadas pela doença.

Existem dois subtipos de AVC, o hemorrágico, causado pelo rompimento de um vaso que causa um derrame de sangue no interior do cérebro; e o isquêmico, popularmente conhecido como infarto cerebral.

O infarto cerebral surge quando o fluxo sanguíneo é interrompido por uma obstrução que pode ser causada por gordura ou coágulo sanguíneo.

Infarto cerebral: fatores de risco

presion arterial
Shutterstock

Especialistas acreditam que todos, independentemente da idade, sexo ou condição, podem sofrer um AVC isquêmico. No entanto, os fatores de risco estão relacionados ao alcoolismo, falta de exercícios físicos, tabagismo, obesidade, hipertensão, níveis elevados de colesterol e diabetes.

Sinais de infarto cerebral

cerebro
Shutterstock

Quando a pressão arterial está em 140/90 MM Hg ou maior é um sinal de risco iminente de infarto cerebral. Outros sintomas como a perda de mobilidade de um lado do rosto ou sensação de formigamento na face também estão intimamente ligados à doença. Porém, alguns sinais são mais sutis e facilmente confundidos com outros problemas de saúde:

  • Fortes dores de cabeça
  • Rigidez no pescoço
  • Alteração súbita da visão
  • Fraqueza ou paralisia nas extremidades
  • Problemas repentinos para falar
  • Dor nos ombros
  • Níveis anormais de fadiga após alguma atividade física

Se você ou alguém próximo manifestar esses sintomas, é vital procurar atendimento médico imediatamente: quanto mais cedo o paciente receber o tratamento adequado, maior a probabilidade de reduzir as consequências dessa condição perigosa.

Como prevenir?

ensalada 0
Shutterstock

A Organização Mundial da Saúde considera que 80% dos casos de infarto cerebral são evitáveis, por isso propõe as seguintes recomendações para reduzir o risco de viver este episódio:

  • Dieta saudável - Consumir muitas frutas e legumes, bem como grãos integrais, carnes magras, peixe e legumes, mas acima de tudo diminuir a quantidade de sal e açúcar em sua dieta. Evite o consumo de álcool.
  • Atividades físicas - Estima-se que 30 minutos de exercício por dia são suficientes para manter o sistema circulatório em forma e pelo menos uma hora para manter seu peso ideal.
  • Não fumar - Se você parar de fumar, o risco de sofrer um infarto cerebral diminui pela metade depois de apenas um ano.
  • Controle do risco cardiovascular - Monitore sua saúde cardiovascular com um exame médico, pelo menos uma vez por ano.

Riscos de infarto

Matéria traduzida do original de VIX espanhol, do autor Sebastián Pérez.