Um pouquinho de bacon ao dia eleva risco de câncer em 20%: como comer sem perigo?

fatias bacon assadas 0817 1400x800
LauriPatterson/istock

Pesquisas recentes mostram que mesmo quantidades pequenas de carne todos os dias, como uma fatia de bacon extra, podem aumentar em uma alta porcentagem o risco de câncer colorretal.

O mais recente estudo sobre o assunto, liderado pela Universidade de Oxford e apoiado pela organização Cancer Research UK (CRUK), contribui para a evidência de que comer carnes vermelhas e carnes processadas pode ser prejudicial à saúde.

bacon desayuno americano
Photo by Jonathan Farber on Unsplash

Uma fatia extra de bacon por dia aumenta o risco de câncer

Os pesquisadores analisaram informações de meio milhão de pessoas envolvidas no grande estudo do Reino Unido sobre o Biobank e descobriram que, em um período de seis anos, 2.609 pessoas desenvolveram câncer de cólon.

A partir desses resultados, os pesquisadores estimam que comer três fatias de bacon por dia, em vez de apenas uma, aumenta o risco de câncer em 20%. No estudo, o consumo de 21 g de carne vermelha ou processada por dia foi comparado com o consumo de 76 g (dados médios) e um aumento significativo da incidência da doença foi observado em quem comia mais este tipo de alimento.

bacon tocino
White78 vía Shutterstock

A CRUK, que além de financiar este estudo recente apoiou centenas de pesquisas sobre todos os tipos de câncer, aponta que, dos quase 42 mil casos de câncer de cólon que ocorrem a cada ano no Reino Unido, mais de 5 mil poderiam ser evitados se as pessoas não comessem carnes processadas.

Com base na pesquisa disponível, as carnes processadas foram classificadas como grupo 1 (carcinogênico para humanos) pela Organização Mundial da Saúde (OMS), juntamente com cigarros e materiais de amianto. No entanto, essa classificação não denota quão grande é o risco.

prevenir las varices 4
Ingram Publishing/Thinkstock

O tabagismo, por exemplo, causa mais de 54 mil casos de câncer por ano, tornando-se mais perigoso do que o bacon, diz Emma Shields, gerente de informações da CRUK. Sobre o estudo, ele acrescenta:

"Este estudo mostra que quanto mais carne [vermelha e processada] você come, maior o risco de desenvolver câncer. Obviamente, o oposto também é verdadeiro: quanto menos carne [vermelha e processada] você come, menor o risco de ter câncer colorretal no futuro."

carne roja
Photo by José Ignacio Pompé on Unsplash

A Public Health England, uma agência do departamento de saúde inglês, disse, a partir das informações de suas pesquisas, que as pessoas consomem uma grande quantidade desses tipos de carne. O problema é quase global e, para os latino-americanos, ainda maior.

Segundo uma análise da dieta global em 27 anos, publicada pela The Lancet, nas Américas é consumida muita carne, especialmente nos Estados Unidos, no Canadá e nos países da América do Sul. Por exemplo, nos Estados Unidos e no Canadá, o consumo diário de carnes processadas excede 20 g. Carnes processadas são consideradas presunto, salame, bacon e salsichas.

Na América do Sul, a carne vermelha é consumida em quase todas as refeições, e embora a quantidade recomendada por dia seja de 22 g, essa região consome mais do que o dobro, em média.

cortes carne roja
Photo by Lukas Budimaier on Unsplash

O maior consumo de carne vermelha é encontrado nas Américas, de acordo com uma análise realizada pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO, por sua sigla em inglês).

Os Estados Unidos lideram a lista de consumo de carne vermelha, com um consumo de 97 kg por ano: 266 g por dia por pessoa, um consumo mais de 10 vezes superior ao valor recomendado. Em terceiro e quarto lugar estão Argentina e Uruguai, com um consumo de 86,1 kg e 81 kg por ano, respectivamente: 236 g e 222 g de carne vermelha por dia, em média.

Em sexto e sétimo lugar estão o Brasil e o Chile, que consomem 77,2 kg e 71,6 kg por ano, com médias de 212 g e 196 g diários, respectivamente.

hamburguesas parrilla
Photo by Zac Cain on Unsplash

Como comer carne sem perigo?

Apesar dos alertas levantados pelos estudos, você pode, sim, comer carne e ser saudável. A carne vermelha é uma boa fonte de proteína, ferro e outros macronutrientes. Para obter seus benefícios e satisfazer o paladar sem prejudicar a saúde, basta atentar-se às quantias ingeridas por dia., já que a quantidade recomendada de carne leva em conta o equilíbrio entre obter todos os benefícios dessa refeição e evitar os riscos.

O departamento de saúde do Reino Unido adverte qualquer pessoa que consuma mais de 90 g de carne vermelha ou processada diariamente que reduza seu consumo a um máximo de 70 g por dia, de acordo com a BBC. Seriam três porções de carne por semana, no máximo.

Alimentos que fazem bem para a saúde

Matéria traduzida do original de VIX espanhol, do autor Carina Giordano.