15 famosos que enfrentam doenças incuráveis e falaram abertamente sobre suas lutas

tata werneck 0120 1400x800
Divulgação/Juliana Coutinho

Pode parecer uma ação pouco significativa, mas muitos artistas – sejam eles brasileiros ou não – fizeram um serviço e tanto para o público ao falarem abertamente sobre as doenças que sofrem e tratam no dia a dia. Eles quebraram tabus e mostraram que sim, é possível ter uma vida normal após o diagnóstico.

Confira alguns desses artistas na lista abaixo.

Famosos que enfrentam doenças incuráveis

Dani Valente

Instagram

Em agosto de 2017, a atriz Dani Valente (famosa por seu papel no seriado "Confissões de Adolescente") falou sobre um assunto íntimo e delicado e reforçar a importância do bem-estar e da qualidade de vida. Valente foi diagnosticada com fibromialgia – uma doença incurável, que causa fortes dores no corpo, além de depressão – e contou que decidiu mudar sua perspectiva de vida para encarar o problema.

Instagram

“(...)Fui diagnosticada aqui nos EUA com fibromialgia. Uma doença que faz basicamente a gente sentir dores por todo o corpo, exaustão e uma depressão danada por não conseguir fazer 10% do que você gostaria”, contou a atriz após um ano da descoberta. O caminho que Dani encontrou para tratar a doença foi fazer mudanças estruturais em sua vida, e sua fala é inspiradora para qualquer pessoa.

Instagram

“Mudei meu estilo de vida. Dou valor a cada momento alegre com a minha família. Foquei em escrever mais do que atuar. Escolho somente os trabalhos que me trazem alegria. Sem falar na alimentação saudável, contato com a natureza e a meditação”, escreveu em uma publicação em seu Instagram.

Instagram

A doença não tem cura conhecida, mas é possível controlar os sintomas com medicamentos, técnicas de relaxamento e alongamento, fisioterapia e exercícios físicos de baixo impacto.

Camila Coelho

Instagram

"Nunca pensei que seria tão profundamente aberta sobre minha vida pessoal", escreveu a influencer Camila Coelho na legenda de um vídeo onde expôs toda sua luta de anos com a epilepsia. Segundo ela, o diagnóstico veio aos nove anos, mas apenas após os 30 ela conseguiu falar sobre isso em público. "Minha esperança é que compartilhando minha história, minhas lutas e desafios, eu possa ajudar aqueles que estão lutando agora, especialmente com aceitação própria e amando a si mesmos", disse.

Instagram

No vídeo, Camila compartilhou todos os momentos que viveu com sua doença - desde a infância até o momento atual, em que tenta engravidar, com todos os cuidados que o problema exige. Segundo ela, essa é a parte mais desafiadora de sua luta. Para tentar ter um bebê, a famosa decide junto com seus médicos a melhor forma de fazer a troca ou interrupção dos medicamentos, para que nem ela e nem a criança sejam prejudicados.

Amanda Seyfried

amanda seyfried 1016 1400x800 1
Jason Merritt / Staff/gettyimages

No final de 2016, a atriz norte-americana Amanda Seyfried, famosa por papéis em filmes como “Cartas para Julieta” e “Mamma Mia!”, falou à revista feminina Allure sobre a convivência com o Transtorno Obsessivo-Compulsivo, o TOC. O acometimento, caracterizado por incluir pequenos “rituais” na rotina, é mais comum do que se imagina e pode se apresentar com diferentes intensidades, em adultos e crianças.

amanda seyfried 1016 1400x800
Jun Sato / Stringer/gettyimages

Amanda disse tomar medicamento antidepressivo para tratar o transtorno obsessivo-compulsivo desde os 19 anos. A atriz contou também como lidou, e ainda lida, com o TOC. “Eu tive uma ansiedade muito forte em relação à saúde por causa do TOC e achei que tinha um tumor no cérebro. Fiz uma ressonância e o neurologista me mandou para o psiquiatra. Com o tempo, os pensamentos compulsivos e medos diminuíram muito. Saber que muitos dos meus medos não têm base real ajuda muito”.

Tatá Werneck

tata werneck 0918 1400x800
Ramón Vasconcelos/Globo

A atriz e comediante Tatá Werneck sofre de uma doença que afeta milhares de mulheres e causa dores incapacitantes, podendo até mesmo levar a desmaios: a endometriose.. Por serem comumente associados às cólicas menstruais comuns, os fortes incômodos muitas vezes são ignorados pelas pacientes, que sofrem sem saber que a doença pode (e deve) ser tratada.

tata werneck atriz 0818 1400x800
Ramón Vasconcelos/TV Globo

A doença de Tatá é bastante comum. De acordo com a Associação Brasileira de Endometriose (SBE), mais de 6 milhões de brasileiras sofrem com o problema. Os fatores que acarretam o mal ainda são desconhecidos, mas acredita-se que há ligação com a genética.

Instagram

Embora não tenha cura, a doença pode ser controlada e permitir que a mulher viva bem. E que, inclusive, possa ter filhos normalmente - como foi o caso de Tata, que teve a pequena Clara Maria.

Monica Potter

monica potter 0118 1400x800
Theo Wargo/Staff/Getty Images

A atriz norte-americana Monica Potter, estrela da série de TV “Parenthood”, contou nas redes sociais como é viver com colite, doença caracterizada pela inflamação no intestino grosso. A artista afirmou que escolheu falar sobre o problema – que, segundo ela, não é sexy nem glamuroso – para incentivar outras pessoas a compartilhar suas histórias e apoiar uns aos outros.

monica potter 0119 1400x1800
Angela Weiss/Getty Images

Monica publicou uma foto no Instagram que mostrava sua barriga inchada, o que fez com que muitos seguidores achassem que ela estava grávida. "Eu tenho algo a compartilhar", ela escreveu. No dia seguinte da postagem, a atriz fez questão de deixar claro que não está grávida, e que o inchaço é fruto de colite. Monica revelou que convive com a colite há quase dois anos e explicou que a doença a afeta tanto que já teve de usar fraldas para adultos em alguns momentos. A condição causa fortes diarreias e sangramento retal.

Instagram

"Então, para todos que sofrem de colite ou outro problema abdominal, saiba que você não está sozinho. [...] Eu quero mostrar a importância de check-ups regulares com seu gastroenterologista ou médico da família. [...] Tire um tempo para você e vá se consultar, mesmo que você não tenha problemas importantes", escreveu.

Anaju Dorigon

orgulho e paixao anaju dorigon 0218 1400x800
Tata Barreto/João Miguel Júnior/Globo

A perda rápida de peso da atriz Anaju Dorigon, que interpretou Jade na novela “Malhação” em 2014 e também fez parte da novela “Orgulho e Paixão”, chamou a atenção dos seus seguidores nas redes sociais. Anaju então contou que a real causa da mudança de seu corpo é uma doença que ela tem há muito tempo, mas que só começou a tratar mais velha: a hipoglicemia reativa.

Instagram

Em entrevista durante o programa "Encontro", em 2016, a atriz contou que “passava muito mal de vez em quando e tinha um diagnóstico de depressão que não entendia muito bem de onde vinha (...) Comecei a convulsionar, desmaiei. [Depois] voltava, convulsionava, apagava. Isso foi acontecendo durante algumas horas. Até que eu apaguei de vez e na hora em que eu acordei, eu não conseguia falar, andar, não sabia onde estava”, relatou a atriz. Foi então que Anaju descobriu que tinha hipoglicemia reativa, que, por não ter cuidado da maneira certa, desencadeou em depressão e síndrome do pânico em um grau seríssimo.

Júlia Almeida

julia almeida atriz 0318 1400x800
Estevam Avellar / TV Globo

Após anos do diagnóstico, a atriz Júlia Almeida, filha do autor de novelas Manoel Carlos, decidiu revelar que sofre de epilepsia, uma condição neurológica grave que pode impactar seriamente a qualidade de vida do paciente. A atriz já fez papeis em novelas globais como “Laços de Família”, “Mulheres Apaixonadas” e “Tempo de Amar”.

Instagram

Segundo contou a atriz ao blog da repórter Marina Caruso, do jornal O Globo, ela convive com a epilepsia desde os 27 anos e, ao falar abertamente sobre o assunto, pretende desconstruir o preconceito. Júlia contou que recebeu o diagnóstico depois que teve convulsões e meningite. Após anos sem manifestar o problema, voltou a ter crises recentemente.

Instagram

“Já convulsionei. Mas o que mais tenho são ausências. Fico ‘out’ por alguns segundos. Falo coisas sem nexo e depois retomo. Acontece principalmente se estou sob estresse ou dormi pouco. Passei a ter a vida mais regrada para evitar”, explicou Júlia durante a entrevista. A condição neurológica a fez adaptar sua vida em outras áreas também. Hoje ela não dirige sozinha e controla a ingestão de bebidas alcoólicas: só consome no máximo duas taças. Ela também pratica yoga e meditação.

Betty Faria

betty faria 1016 1400x800
alexsoares/globo

A atriz veterana Betty Faria publica algumas vezes fotos fazendo exercícios em suas redes sociais. O gesto pode parecer simples para alguns, mas para atriz, que sofre de artrite reumatoide, movimentar-se é uma superação diária. Betty Faria descobriu o problema há anos e desde então está em tratamento. De modo sutil, ela revelou que conviver com a doença nem sempre é fácil.

betty faria 0118 1400x800
Wallace Barbosa/agnews

A doença causa fortes dores nas articulações e afeta progressivamente os movimentos, por isso a atriz classificou a tarefa de se exercitar como uma "luta". No entanto, apesar da dificuldade, quem sofre da doença autoimune se beneficia dos exercícios físicos, porque ajudam a minimizar as dores e a fortalecer a musculatura.

José Loreto

darkson jose loreto 1019 1400x800 0
GLOBO / Renato Rocha Miranda | Globo/Ramón Vasconcelos

Em um vídeo gravado para o canal de Giovanna Ewbank no YouTube, o ator José Loreto falou sobre diabetes, doença crônica que enfrenta. Conforme já havia contado em entrevistas passadas, Loreto descobriu a diabetes na adolescência, mas, desta vez, deu alguns detalhes sobre o diagnóstico que chamaram atenção. Além da micção frequente, outro detalhe bastante inusitado envolvendo sua urina foi o que matou de vez a charada.

jose loreto 0919 1400x800
Globo/Estevam Avellar

A família do ator, que tinha 14 anos na época, percebeu que de fato se tratava de diabetes quando chegaram em casa após a viagem e ele notou que formigas estavam se juntando em torno de sua urina. “Tinha muita formiga na privada e falei para o meu pai isso. Meu pai é médico e sacou na hora que era diabetes”, contou. Em 2018, o ator participou de campanhas sobre Diabetes.

Maisa

maisa silva close 1118 1400x800
Thiago Duran/Agnews

Em abril de 2018, Maisa publicou uma foto no Twitter em que aparece chorando devido a uma doença limitante que afeta ao menos 15% da população mundial, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Trata-se da enxaqueca, que, apesar de séria e potencialmente perigosa, é negligenciada por muitos, que acreditam ser apenas uma dor de cabeça comum e não dão a devida importância ao tratamento. A doença de Maisa é um tipo de dor de cabeça intensa e que geralmente vem acompanhada de outros sintomas, como náusea, vômito e sensibilidade ao barulho e à luz.

maisa look 0320 1400x800 0
Leo Franco/AgNews | Leo Franco/AgNews

O transtorno tem origem genética, mas as crises surgem pela sensibilidade a desencadeantes, que variam de acordo com cada paciente, como estresse, jejum, menstruação, medicamentos e determinados alimentos. Grande parte dos casos de enxaqueca começa exatamente na faixa etária de Maisa. Isso por conta da ação hormonal, que torna o acometimento mais comum em mulheres, as quais podem ter crises tão frequentes que chegam a ser classificadas como crônicas.

maisa silva larissa manoela teleton 1019 1400x800
Zé Paulo Cardeal/SBT

Existem medicamentos que podem tratar a enxaqueca. Mas, no geral, eles têm a função de amenizar os sintomas por um tempo - que pode ser longo ou curto, dependendo do paciente. Contudo, a enxaqueca pode voltar a se manifestar e pedir, novamente, por tratamento. É portanto, uma doença que não tem uma cura definitiva.

Marcos Pasquim

marcos pasquim 1218 1400x800
Globo/Cesar Alves

Marcos Pasquim foi outro artista que tiveram coragem de revelar ao público seus problemas psiquiátricos e ajudou e desconstruir mitos e tabus em torno do tema, que ainda sofre muito estigma. Hoje já tratado, o ator revelou em entrevista que sofreu com um tipo de transtorno de ansiedade bastante específico e que nem sempre é tratado com a atenção devida: agorafobia.

marcos pasquim 0118 1400x800
Estevam Avellar/ TvGlobo

A agorafobia é uma síndrome caracterizada pelo medo súbito de não conseguir fugir de determinadas situações ou locais, caso algo ruim aconteça. Segundo seu relato, a condição começa aos poucos, com crescente sensação de medo a situações que antes eram consideradas inofensivas. Se não tratado, o quadro pode comprometer inteiramente a qualidade de vida do indivíduo, levando até ao isolamento e à síndrome do pânico.

Ana Beatriz Nogueira

ana beatriz nogueira atriz 0218 1400x800
João Miguel Júnior/TV Globo

A atriz Ana Beatriz Nogueira revelou que tem esclerose múltipla (EM), doença sem cura que é caracterizada por agressões autoimunes ao sistema nervoso. O primeiro sinal surgiu em 2009, quando a artista notou uma alteração pouco comum na visão. A atriz contou que ficou com visão dupla enquanto assistia a um filme legendado.

Instagram

“Achei que a legenda estava ruim, mas, no dia seguinte, não tinha melhorado e procurei um médico. Ele disse que isso se chama diplopia e poderia ter inúmeras causas”, contou Ana, que logo foi erroneamente informada de que o problema era efeito colateral de um medicamento para dormir que tomava. A visão de Ana voltou ao normal após 15 dias, mas o problema voltou a incomodar meses depois.

Instagram

Novamente, os sintomas sumiram e só retornaram meses depois, mas de uma maneira mais grave. “O último surto foi mais angustiante: eu não enxergava nada. Mas, ainda bem que àquela altura eu tinha encontrado uma médica que fez o diagnóstico definitivo”, explicou a atriz em referência à neurologista que confirmou a EM.

Selena Gomez

selena gomez 1
Matt Winkelmeyer/Getty Images

Em 2013, Selena cancelou uma turnê que faria pela Ásia e Austrália sem justificar a decisão. Sites de notícias sobre celebridades especularam que ela se internaria em uma clínica para se livrar da dependência de substâncias químicas. Apenas em 2015 a cantora revelou que, na ocasião, descobriu ser portadora de Lúpus e precisou fazer sessões de quimioterapia para tratar a doença. "Poderia ter tido um AVC", disse em entrevista à Billboard.

selena gomez 0517 1400x800
Dimitrios Kambouris/Getty Images

O lúpus é uma autoimune, ou seja, é causado por anticorpos do próprio corpo, que passam a atacá-lo. Mas existem fatores que desencadeiam essa reação. Entre elas estão agentes infecciosos, alguns medicamentos, radiação ultravioleta e fatores hormonais. Uma a cada 1.000 mulheres no Brasil tem Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES), doença inflamatória, autoimune e crônica sem causa específica. A principal característica suas manifestações intercaladas. Há fases nas quais os sintomas aparecem, chamados de períodos de atividade, e, outros momentos nos quais não há manifestação, chamado de período de remissão.

Lady Gaga

lady gaga vestido rosa veneza 0818 1400x800
Antony Jones/Getty Images

Lady Gaga revelou que sofre de uma doença crônica que causa dores por todo o corpo. Em 2017, quando lançou um documentário sobre sua vida, ela contou quais tratamentos usa para amenizar a fibromialgia. A doença crônica causa dores generalizadas pelo corpo, cansaço, rigidez muscular, insônia e problemas cognitivos, como falta de memória e desatenção.

lady gaga critics awards 0119 1400x800
Frazer Harrison / Getty Images

A revelação foi feita no Twitter, e a artista disse que o público consegue saber mais sobre a doença no documentário "Gaga: Five Foot Two!", produção original da Netflix que está disponível no serviço de streaming. "No documentário, a doença crônica com a qual eu lido é a fibromialgia. Eu espero ajudar a aumentar a conscientização e conectar as pessoas que sofrem disso", escreveu.

lady gaga cantora 0917 1400x800
Frazer Harrison/Staff/Getty Images

A artista complementou dizendo que tratamentos à base de calor ajudam a aliviar a dor crônica da fibromialgia. "Eu achava que gelo ajudava na fibromialgia, mas estava enganada e tornando-a pior. Calor é melhor", afirmou, revelando que faz uso de cobertor elétrico e sauna de infravermelho para tratar.

Gaten Matarazzo

gaten matarazzo revista time 1016 1400x800 2
Alberto E. Rodriguez/Getty Images

Desde o início de Stranger Tgings, uma das características mais evidentes de Gaten Matarazzo é o sorriso banguelo. Na vida real, Matarazzo sofre de displasia cleidocraniana, doença que afeta o desenvolvimento de ossos e dentes. Em entrevista à revista People, Matarazzo contou que sua condição é leve, de forma que ele não é tão afetado. "Existe uma chance em um milhão de você ter isso — na maioria das vezes você pega dos seus pais, mas para mim só aconteceu", explica ele.

gaten matarazzo stranger things 1117 1400x800 0
Astrid Stawiarz/Getty Images

O ator teve que passar por cirurgias na boca para corrigir deformações ósseas. Porém, segundo Gaten, há uma parte legal nisso: suas clavículas. Elas não são bem desenvolvidas, o que faz com que seus ombros se encontrem. Apesar dos problemas, o pequeno disse estar feliz em tratar do assunto na televisão. "Muitas pessoas me escreveram, dizendo 'Você me fez sentir melhor comigo mesmo, mostrando sua condição na TV e vivendo com ela'. Me sinto bem com isso", conclui.

Curiosidades dos famosos