O que esposa de Will Smith admitiu ter feito pela depressão é um alerta enorme

will smith jada smith 1400x800
Kevin Winter / Staff/Getty Images

A atriz Jada Pinkett Smith fez uma sincera revelação sobre sua própria saúde mental durante uma edição do Red Table Talk, talk show norte-americano estrelado pela artista, a filha e cantora Willow Smith e Adrienne Banfield-Norris.

Além da importância de falar abertamente sobre a depressão que enfrentou no passado, o desabafo da esposa de Will Smith também é pertinente por servir de alerta ao mostrar os riscos que muitos pacientes em quadros depressivos estão sujeitos ao lidarem com a doença.

Depressão de Jada Pinkett Smith

jada pinkett smith 1400x800
Dia Dipasupil / Staff/GettyImages

Em conversa com os participantes do talk show sobre como se discutir a saúde mental, Jada decidiu contar a sua própria experiência sobre o assunto.

Segundo Jada, logo quando chegou em Los Angeles para iniciar a carreira na juventude, a atriz desenvolveu um quadro depressivo.

“Eu estava severamente depressiva, severamente. E a depressão foi algo com que eu lutei por anos. Acordar de manhã era a pior parte do meu dia.”

Em determinado momento, a conversa voltou-se para as condições que levaram à morte do rapper Mac Miller há cerca de três meses - que envolvem essencialmente quadros de depressão e de overdose.

Jada, então, lembrou-se da forma como lidou com a sua própria depressão e contou que, ao saber da morte do rapper, identificou-se com a situação.

“Eu não conheci Mac Miller, mas quando olho para as circunstâncias [de sua morte], senti muito por ele, porque eu sabia que poderia ter sido eu facilmente”, disse Jada. “Eu estava igual”, confessou a atriz.

Solução encontrada por Jada para lidar com depressão serve de alerta

jada pinkett smith 1400x958
Paras Griffin / Stringer/GettyImages

Jada, então, explicou por que conseguiu se identificar tanto com as condições que levaram à morte de Mac Miller.

“Durante minha depressão, usava ecstasy, bebia muito e fumava muita maconha na tentativa de encontrar paz em minha mente. É como se eu soubesse o que estava fazendo: eu usava ecstasy porque queria me divertir”, admitiu a atriz.

Risco da dependência

drogas  trafico 1400x800 0317
serpeblu/shutterstock

Não é raro que pessoas em quadros depressivos recorram ao uso excessivo de álcool ou de drogascomo válvula de escape aos sintomas da doença.

Entretanto, o uso massivo dessas substâncias pode desencadear outro quadro de saúde ao paciente: a dependência química.

“Como essas substâncias trazem a sensação de felicidade momentânea, podem levar ao vício. Principalmente para quem está suscetível, se torna uma fuga para o problema”, explica a psiquiatra Lilian Souza Soares, da ECare (rede de saúde mental).

“Eu sabia que estava no caminho do vício. Eu tinha clareza sobre isso", lembrou Jada.

A situação revelada pela atriz serve de alerta para o risco de não diagnosticar e tratar a doença corretamente. Por isso, é importante interpretar sinais - óbvios ou não - da depressão e não temer buscar ajuda médica, já que a condição é séria e pode evoluir para quadros debilitantes e até mesmo a morte.

Depressão tratamento