mulher

Câncer que vitimou cantora do Fat Family é dos mais comuns e pode começar com azia

Morreu nesta terça-feira, 12, a cantora Deise, integrante do grupo Fat Family que vinha lutando contra um câncer no estômago há seis meses. A informação foi confirmara ao VIX por meio da assessoria de imprensa da banda.

Morre Deise Cirpiano, do Fat Family

A cantora descobriu um câncer abdominal em agosto de 2018, após sentir fortes dores e ser submetida a exames. Ela logo inciou as sessões de quimioterapia e foi internada no Instituto do Câncer de São Paulo, onde passou por cirurgia, chegou a ficar na UTI e enfrentou um coma de 19 dias.

No Natal, Deise recebeu alta e pôde celebrar a data em casa ao lado da família. Porém, voltou a ser internada hoje, um mês depois, e não resistiu.

Câncer de cantora do Fat Family

Com mais de 20.520 casos anuais no Brasil, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer de estômago um dos mais frequentes.

Segundo o oncologista Manoel Carlos Leonardi de Azevedo Souza, da Beneficência Portuguesa de São Paulo, a causa primária do câncer no estômago é pela bactéria Helicobacter Pylori, conhecida apenas por H. Pylori - que pode causar úlceras, casos de gastrite e ainda provocar câncer, uma vez que aumenta a produção de ácidos e reduz a proteção da mucosa, deixando-a frágil e propensa a lesões.

Fatores de risco

A alimentação pode causar câncer de diferentes tipos. Alguns alimentos são mais perigosos, como a carne processada. Esses produtos contêm nitratos e nitritos – substâncias que, no estômago, se tornam nitrosamina. Esse composto afeta as células estomacais – o que o torna altamente cancerígeno.

Alimentos mais perigosos para o estômago

  • Presunto
  • Bacon
  • Peito de peru
  • Salsicha

Cabe ainda um alerta especial ao sódio e alimentos em conserva. Ambos podem causar uma piora na infecção pelo H. Pylori, a bactéria que pode se alojar no estômago e aumentar em seis vezes a chance de ter a doença.

conserva pimenta vegetais 1016 1700x1129
nkrivko/istock

Remédios

Além disso, um estudo realizado pela Universidade de Hong Kong em parceria com a Universidade College London mostra que alguns remédios muito usados para azia, refluxo e incômodos gastrointestinais aumentam em até 2,4 vezes o risco de câncer de estômago. É o caso do popular Omeprazol, que é o mais famoso e mais usado entre os medicamentos chamados "inibidores da bomba de prótons". A lista também inclui o Pantoprazol e Lansoprazol.

Mas, vale lembrar que há recomendação do uso desses medicamentos para algumas pessoas e nem sempre eles podem causar câncer. O importante para evitar qualquer risco é se consultar com um médico e jamais usar nenhum remédio sem prescrição e orientação.

Sintomas do câncer de estômago

Segundo o cirurgião do aparelho digestivo Amir Charruf, do Hospital Moriah, os tumores costumam apresentar poucos sinais relevantes nas fases iniciais, como:

  • Dor abdominal;
  • Queimação e azia persistente;
  • Inchaço;
  • Perda de apetite.
refluxo e inchaco abdominal 0916 1400x800
namtipStudio/Shutterstock

Com o desenvolvimento do tumor, o quadro pode ficar mais sério e os seguinte sintomas podem aparecer:

  • Perda de peso não explicada;
  • Dificuldade em engolir alimentos;
  • Piora da dor abdominal;
  • Anemia;
  • Vômito ou fezes com sangue;
  • Perda de peso excessiva;
  • Coloração amarelada da pele;
  • Aumento do volume abdominal;
  • Presença de gânglios nas axilas e acima da clavícula.

Prevenção

Apostar em uma alimentação repleta de fibras, legumes e frutas cítricas - que possuem vitamina C e betacaroteno, que protegem o órgão - é uma das orientações. Evite drogas, álcool e cigarro, assim como o consumo exagerado de alimentos industrializados.

Tratamento

O tratamento varia de acordo com o estágio em que a doença é descoberta. Caso seja no início e ainda não tenha atingido outros órgãos, pode ser feita a retirada do tumor por uma cirurgia, além de sessões de quimioterapia.

Deise Cipriano