mulher

Cobreiro, a doença comum que é ativada por estresse e pode ter consequências sérias

herpes zoster saude 0118 1400x800
Mixmike/istock

Popularmente conhecida como cobreiro, a herpes-zóster é uma doença infecciosa bastante comum e que atinge uma em cada três pessoas durante a vida. Estima-se que, no Brasil, 94% da população está infectada com o vírus causador da condição, mesmo sem saber.

Caracterizado por bolhas cheias de líquido na pele, o cobreiro surge quando o vírus varicela-zoster, o mesmo responsável pela catapora, é reativado no organismo. A doença pode se manifestar em diversas partes do corpo, unilateralmente.

Cobreiro pode ser ativado por estresse

herpes zoster 0318 1400x800
Romolo Tavani/Shutterstock

O estresse é uma das condições que podem favorecer a ativação do cobreiro no corpo, já que ele compromete o sistema imunológico. A baixa imunidade pode fazer com que o vírus armazenado nos gânglios nervosos volte a se manifestar.

A doença ainda pode aparecer com mais frequência em pessoas com diabetes, HIV, câncer ou que fazem uso de medicamentos que reduzem a imunidade.

Cobreiro: diagnóstico e sintomas

herpes zoster pele 1400x800 0317
Anetlanda/SneSivan/shutterstock

O diagnóstico de cobreiro pode ser obtido por exame clínico em consultório médico, que avalia as lesões na pele, assim como seus principais sintomas, que são:

  • Dores, que pode ser bastante intensa
  • Sensação de formigamento
  • Coceira
  • Vermelhidão da pele
  • Bolhas de líquido na pele

O cobreiro não é uma doença grave ou fatal, mas suas complicações incluem risco de morte. Entre as principais, está a neuralgia pós-herpética, condição dolorosa que provoca perda de peso, depressão, pode durar vários anos e, em alguns casos, ser tão intensa a ponto de afetar movimentos do paciente.

Além disso, se não for tratado corretamente, o cobreiro pode deixar sequelas, que vão desde simples cicatrizes na pele até outras mais graves, como cegueira e surdez.

Tratamento e prevenção contra cobreiro

herpes zoster pele 1400x800 0317 2
SneSivan/shutterstock

De modo geral, a lesão na pele causada pelo cobreiro regride sozinha, mesmo sem tratamento, entre sete e dez dias, mas consultar um médico é importante para evitar complicações de saúde.

A única maneira possível de se prevenir contra o cobreiro é tomando a vacina contra o varicela-zóster na vida adulta. A aplicação, no entanto, não é feita na rede pública de saúde, é indicada somente para pessoas com mais de 50 anos e tem eficácia média de 70%, ou seja, estima-se que três em cada dez pessoas que fazem a prevenção podem desenvolver a doença mesmo assim.

Coceiras na pele