mulher

Cáries e inflamação no canal dentário são graves e podem levar à morte: 6 cuidados

arcada dentaria carie 0817 1400x800
Bet_Noire/istock

Apesar de provocar mau hálito, dores e grande incômodo, cáries e inflamações no canal dentário muitas vezes são encaradas com pouca preocupação e muitas vezes chegam a ser ignoradas. Mas, os problemas podem evoluir para condições graves e levar até à morte.

Dois exemplos ganharam destaque na mídia recentemente e possuem, em comum, complicações relacionadas à saúde bucal. A modelo Renata Banhara chegou a perder movimentos do rosto após uma infecção decorrente de um tratamento de canal no dente.

Já o músico Ricardo Bueno, que atuou na segunda formação do grupo Dominó, faleceu em consequência de sepse (infecção generalizada) e abscesso odontogênico, que é o acúmulo de pus que se forma no interior dos tecidos do corpo.

dentista dentes carie 0817 1400x800
yoh4nn/istock

Os casos servem de alerta para que condições associadas aos cuidados com a saúde bucal não sejam nunca ignoradas. Pouca gente sabe, mas uma periodontite, por exemplo, causada por inflamações na gengiva, pode desencadear problemas cardíacos.

As razões ainda não são claras, mas especula-se que bactérias nocivas da boca entram na corrente sanguínea e chegam aos vasos sanguíneos do coração, causando inflamação e aumentando o risco de coágulos que podem provocar ataques cardíacos.

inchaco rosto dente 1016 1400x800
champja/istcok

Pessoas que sofrem de diabetes devem ter cuidados extras, já que são mais propensas a terem a doença periodontal. Isso porque diabéticos são mais suscetíveis a infecções e doenças na gengiva.

Doenças na gengiva e complicações decorrentes de higiene incorreta dos dentes também podem aumentar o risco de contrair infecções respiratórias, como pneumonia, e até comprometer a fertilidade, já que estudos apontam que mulheres que apresentam doença periodontal demoram cerca de dois meses a mais para engravidar do que as que não sofrem de problemas bucais.

Como evitar complicações relacionada à saúde bucal

escova de dentes 1017 1400x800
VGstockstudio/Shutterstock

Além de prestar atenção e não minimizar dores e desconfortos nos dentes e gengivas e realizar visitas regulares ao dentista, fazer a higienização correta é fundamental para evitar doenças e complicações.

Você pode até achar que as recomendações são simples e fáceis de serem seguidas, mas será que sabe mesmo a maneira certa de fazer a higiene bucal? Confira o passo a passo de como escovar os dentes e usar o fio dental corretamente, além de outras importantes dicas que nem todo mundo conhece sobre a limpeza adequada da boca, segundo o cirurgião-dentista Sérgio Rocha Bernardes:

mulher escovando dentes 1116 1400x800
Yuri_Arcurs/istock

1. Para escovar os dentes da maneira correta, faça com a escova movimentos circulares e sem imprimir força. Apenas a passagem da escova é capaz de retirar as placas bacterianas sem agredir a gengiva. O ideal é repetir o processo 3 vezes por dia, 30 minutos depois das principais refeições para não prejudicar o esmalte dos dentes.

2. Evite usar creme dental com alta abrasividade, a não ser que seja recomendado pelo dentista. A ação de produtos do gênero, comum entre os que prometem clareamento, desgasta o esmalte e o revestimento do dente, que são compostos por uma estrutura mineral que não cicatriza e não se regenera.

escova dente nova 1017 1400x800
wakila/iStock

3. Escolha uma escova de dente que possua cerdas ultramacias e em grande volume. Quando uma escova possui cerdas duras é possível que elas apareçam em pouca quantidade, o que provoca desgaste do esmalte dental e ainda pode machucar ou causar traumatismos nas gengivas em longo prazo.

4. Além de optar pela escova certa, fique atento ao seu tempo de vida: escovas de dente devem ser trocadas a cada três meses e não até que suas cerdas fiquem esgarçadas.

passar fio dental 0816 1400x800 3
Marius Pirvu/shutterstock

5. Passe o fio dental duas vezes ao dia, já que somente a escovação não é capaz de remover toda a sujeira que fica presa entre os dentes. É essencial sempre usar uma parte limpa para cada novo dente, não transferido a sujeira de um lugar para o outro.

6. O antisséptico bucal pode servir como complemento de menor relevância para a higienização da boca, mas não deve nunca ser encarado como substituto da escovação. A ideia equivocada pode contribuir para o aparecimento do mau hálito e outros problemas dentários, como tártaros e cáries.

Cuidados com a saúde da boca