mulher

Beber com frequência pode prejudicar mais as mulheres do que os homens, diz estudo

bebida drink alcool mulher bebendo 11
naikon / Istock

Os malefícios do consumo excessivo de bebidas alcoólicas já são bastante conhecidos, mas um recente estudo do Departamento de Medicina da Universidade do Texas indica que os efeitos negativos do álcool podem ser ainda maiores entre as mulheres.

Álcool pode afetar mais o cérebro das mulheres

drinque bebida alcoolica 0716 630x350
Sergey Nivens/Shutterstock

Um experimento realizado com ratos de laboratório mostrou que o álcool mata células-tronco do cérebro. A região do órgão mais suscetível aos efeitos da substância foi uma das responsáveis pela criação de novas células cerebrais em adultos.

Foi observado ainda que as alterações nos órgãos são diferentes entre machos e fêmeas e que entre as cobaias fêmeas os déficits eram maiores do que entre os machos. Elas apresentaram comportamentos de intoxicação mais graves e tiveram considerável redução no grupo de células estaminais na zona subventricular do cérebro.

bebida vinho mulher 0716 1260x700
Robert Brown Stock/Shutterstock

Segundo o trabalho científico, beber álcool frequentemente leva à morte a maioria das células estaminais cerebrais e reduz a produção e o desenvolvimento de novas células nervosas. Foi descoberto ainda que o abuso de bebidas alcoólicas gera efeitos nocivos específicos em diferentes regiões do cérebro.

Os pesquisadores afirmam que o estudo ajuda a compreender melhor como o álcool interage com as células estaminais cerebrais, o que, no futuro, pode levar a um entendimento mais claro sobre novas e mais eficientes formas de tratar e curar o alcoolismo.

Bebida alcoólica e comportamento