mulher

Atenção pais: dar paracetamol à criança ao tomar vacina pode diminuir sua eficácia

vacina em bebe 1216 1400x800
africastudio/shutterstock

Um estudo divulgado pela BBC News e publicado no jornal médico The Lancet constatou que o paracetamol administrado em bebês que tomam vacina de rotina pode diminuir a eficácia da imunização. Na pesquisa, conduzida pela University of Defence na República Tcheca, entre 459 bebês vacinados, 226 receberam três doses deparacetamol nas primeiras 24 horas após a injeção e 233 não. 

Por que o remédio atrapalha a vacinação?

A pesquisa conduzida por Roman Prymula e colegas da University of Defence, na República Tcheca, e outras instituições europeias quis, justamente, analisar o efeito do paracetamol em bebês durante e imediatamente após a vacinação. A medicação é administrada à criança, muitas vezes, para diminuir o risco de desenvolver febre e outros efeito colaterais.

crianca tomando remedio gotinha 0917 1400x800
sidneydealmeida/istock

Embora a droga tenha sido claramente bem sucedida na redução do risco de desenvolver febre, também mostrou reduzir a resposta imune à vacina, sugerindo que a imunização seja menos eficaz. Outra curiosidade é que, embora o uso preventivo de paracetamol tenha afetado a resposta imune à vacina, o efeito da droga para baixar a febre existente não sofreu alteração. 

Por isso, o risco de os pais administrarem paracetamol aos filhos para tratar a febre ou sintomas associados à reação da vacina, como dor e irritabilidade. O estudo analisou uma série de vacinas utilizadas nas imunizações de rotina, incluindo aquelas contra:

  • haemophilus influenza (gripe);
  • difteria;
  • tétano;
  • pólio;
  • hepatite B.

O estudo observou bebês de três a cinco meses de idade tomando vacinas de rotina, e depois novamente com 12 a 15 meses de idade em vacinação de reforço. Os bebês foram escolhidos aleatoriamente para receber paracetamol administrado a cada seis a oito horas durante as 24 horas após a vacinação ou para não receber nenhum tratamento com paracetamol. 

Os bebês foram mantidos no mesmo grupo de tratamento para as vacinas de reforço, então, se eles receberam paracetamol para suas vacinas primárias, eles receberam novamente para o reforço. Embora o estudo ainda esteja em andamento, os resultados iniciais indicam que o paracetamol tem efeito sobre a resposta imune e, portanto, o tratamento com esse tipo de medicação não é  recomendado nessa ocasião.

Dicas sobre vacinação