mulher

Amamentar reduz em até 40% o risco de ter doença feminina comum e muito dolorosa

mae amamentando 0817 1400x800 0
HTeam/Shutterstock

O aleitamento materno não traz benefícios apenas ao bebê, mas também para a mãe: a prática já foi relacionada à redução do risco de diabetes, câncer e outras doenças. O mais recente estudo acerca do tema constatou que amamentar previne endometriose, doença cujo tecido que normalmente reveste o útero cresce fora dele.

Amamentar reduz risco de endometriose

endometriose utero 0117 1400x800
Lightspring/Shutterstock

O estudo publicado no BMJ e elaborado pelo Hospital Brigham and Women's analisou 72.394 mulheres que tiveram uma ou mais gestações com ao menos seis meses de duração.

Durante 20 anos, elas foram acompanhadas quanto aos hábitos, ao tempo de amamentação e a pausa entre uma gestação e outra. Durante o período, 3.296 participantes foram diagnosticadas com a doença endometriose após gestarem um filho.

Foi constatado que o aleitamento total e exclusivo, que ocorre quando o bebê é alimentado somente com o leite materno, foi significativamente associado à diminuição do risco de endometriose.

Quanto maior o tempo, maior é a proteção

As mulheres que deram de mamar por mais de três anos ao longo da vida reprodutiva apresentaram 40% menos chance de desenvolver a condição, em comparação com as que nunca amamentaram.

Além disso, foi constatado que apenas três meses de lactação por gestação, seja ela exclusiva ou não, reduzem em 8% o risco de ter a doença. Já o mesmo período de aleitamento exclusivo aumenta a resistência da mulher em 14%.

Mudanças hormonais protegem contra a doença

mae amamentando 0817 1400x800
Lolostock/Shutterstock

A explicação dos pesquisadores para a diminuição do risco de endometriose em relação ao tempo e à forma de aleitamento são as alterações hormonais.

Dar de mamar ao bebê interrompe temporariamente o ciclo menstrual feminino e altera a liberação de certos hormônios, como a oxitocina e o estrogênio, que contribuem para o desenvolvimento da doença.

Contudo, ainda são necessários estudos para confirmar se a prática realmente reduz o risco de endometriose ou se evita os sintomas dolorosos da doença, o que faz com que as mulheres não saibam que a tem.

Benefícios da amamentação