mulher

DIU de cobre ou DIU de hormônio: o que você deve saber antes de optar por um deles

diu hormonal cobre 0817 1400x800
Image Point Fr/Shutterstock

Há basicamente dois tipos de DIU: o de cobre e o hormonal. Ambos são reconhecidos por fornecerem alta eficácia, segurança e praticidade, mas apresentam peculiaridades que devem ser analisadas antes da colocação. 

A seguir, veja como escolher seu tipo de DIU:

Tipos de DIU

A ginecologista Débora Amorim Oriá Fernandes, da Clínica FemCare, explica que o dispositivo intrauterino (DIU) é um método contraceptivo com formato da letra T ou de uma ferradura que é inserido no colo do útero com o objetivo de evitar a gestação.

Há dois principais tipos de DIU:

Cobre

diu cobre contraceptivo 0717 1400x800
flocu / iStock

Esse modelo não possui hormônios e sua contracepção ocorre por meio de um revestimento de fio de prata corado com cobre. 

O material, que não é tóxico e nem alérgico, impede a gestação pois inflama o tecido que reveste o útero e, consequentemente, causa mudanças bioquímicas e morfológicas que inibem a trajetória do espermatozoide e a fecundação.

Hormonal ou Mirena

diu mirena 0817 1400x800
Image Point Fr/Shutterstock

Chamado de DIU hormonal ou DIU Mirena, esse dispositivo é revestido pelo hormônio levonogestrel, que é um subtipo sintético de progesterona. 

Esse tipo de DIU previne a gestação porque afina o revestimento do útero, chamado de endométrio, que tem como objetivo abrigar o feto, e altera o muco cervical, líquido viscoso produzido que facilita o deslocamento do espermatozoide para dentro do útero. Os dois efeitos tornam o ambiente íntimo hostil à fecundação.

Como escolher?

A longa duração desse contraceptivo é um atrativo para as mulheres que não querem lembrar-se de tomar pílula diariamente. Ainda por cima, o DIU não tem risco de trombose, já que apenas o hormônio estrogênio é capaz de causar o problema vascular.

Apesar dos benefícios, antes de escolher algum dos tipos de DIU é indicado analisar as características a seguir:

diu no utero da mulher 0717 1400x800
Fancy Tapis/Shutterstock

Duração

A vida do DIU de cobreno útero dependerá do fabricante, variando de 5 a 10 anos.

Já o DIU hormonal (Mirena®) mantém sua eficácia até 5 anos após a colocação.

Cólicas e intensidade do fluxo

A ginecologista Débora Amorim Oriá Fernandes alerta que mulheres com fluxo menstrual intenso e cólicas devem pensar duas vezes antes de colocar o DIU de cobre, já que seu mecanismo de contracepção conta com substâncias inflamatórias que podem piorar as cólicas e aumentar o fluxo menstrual.

"O DIU hormonal é mais indicado nesses casos porque a progesterona diminui o processo inflamatório local e provoca atrofia do endométrio, o que reduz as cólicas, ameniza o fluxo e, em alguns casos, suspende a menstruação", ressalta.

calcinha sangue menstruacao 1216 1400x800
Lizzillustrations/Shutterstock

Menstruar ou não menstruar?

O tipo deDIU hormonal impede a menstruação pois causa atrofia do endométrio, o que culmina na ausência do sangramento. Esse efeito é indicado para portadoras de doenças como endometriose e adenomiose, que pioram na menstruação, mas pode causar escapes irregulares ao longo do ciclo.

Já as mulheres que não têm nenhum problema em menstruar regularmente podem fazer uso do DIU de cobre.

Para quem não deseja hormônios

Pacientes com contraindicação absoluta ao uso de progesterona, como as portadoras de câncer de mama, ou mulheres que simplesmente desejam uma contracepção livre de hormônios sintéticos devem optar pelo DIU de cobre, que é completamente livre de tais substâncias.

Dúvidas sobre DIU