mulher

Ferida genital que sara, pesadelo, aspecto de alergia + 7 sinais leves e graves da sífilis

utero dsts 1400x800 0717 0
sciencepics/shutterstock

Reconhecer os sinais e sintomas da sífilis é essencial para evitar as graves complicações dessa doença. Só no Brasil, o número de casos aumentou 5.000% de 2010 a 2015, segundo o Ministério da Saúde. O grande perigo é que o problema costuma passar despercebido pela maioria das pessoas, o que atrasa o tratamento e facilita a transmissão. 

Sintomas de sífilis

De acordo com o Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das Infecções Sexualmente Transmissíveis, a sífilis é uma doença que se manifesta em três fases com evolução e sinais próprios.

Sífilis primária: feridas genitais

Os sintomas da sífilis primária incluem feridas internas ou externas na região genital, ânus ou boca.

Como costumam sarar sem tratamento, não serem doloridas e não terem pus, essas lesões são frequentemente ignoradas.

Sífilis secundária: lesões na pele

sintoma de sifilis 0717 1400x800
TisforThan/Shutterstock

Essa fase ocorre aproximadamente seis meses após a primeira e tem como principal sintoma lesões ou manchas indolores na pele do corpo, especialmente nas mãos e pés. Ainda pode haver nódulos na virilha ou pescoço, cefaleia e dor de garganta.

As manifestações também se tratam naturalmente nessa fase.

Sífilis terciária: lesão nos ossos e cérebro

Os sintomas da sífilis terciária não têm data exata para se manifestar, podendo surgir de dois a 40 anos após a fase secundária.

Período final e mais grave da doença, é caracterizado pela chegada da bactéria da sífilis no sistema nervoso, o que leva a consequências neurológicas como terror noturno, pesadelos, convulsões, demência e alterações cerebrais.

Também há prejuízo para o sistema cardiovascular, além de degeneração óssea grave, especialmente na tíbia (osso da canela), no úmero (antebraço) e no fêmur (osso que liga o joelho ao quadril), a qual resulta em dor intensa e deformidades.

Como identificar?

atendimento medico 1116 1400x800
Bacho/shutterstock

Muitas pessoas deixam de tratar as fases iniciais por atribuírem seus sintomas a alguma alergia, o que permite com que a doença avance e prejudique cada vez mais a saúde. Como resultado, hoje a sífilis é uma epidemia mundial, apesar de seu tratamento ser muito simples e altamente eficaz. 

A dica é estar atento aos pequenos sinais e não considerá-los normais, já que podem se tratar de sintomas de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs).

Realizar consultas de rotina e exames periódicos também é importante para identificar e tratar quaisquer alterações rapidamente.

Por fim, usar preservativo é a maneira mais eficaz de evitar o contágio e transmissão da bactéria por trás da doença.

DST sífilis: leia mais