mulher

O que causa insônia? Problema tem relação com câncer, tireoide e mais 11 condições

mulher com insonia 2 0517 1400x800
Randoms/Shutterstock

Engana-se quem acha que a dificuldade em dormir é causada apenas pelo consumo de substâncias estimulantes e preocupação. As causas da insônia ainda podem incluir doenças malignas e acometimentos benignos, o que ressalta a necessidade de buscar auxílio médico e tratamento.

Principais causas da insônia

A própria insônia

O psiquiatra Rafael Brandes Lourenço, membro da ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria) e médico do sono pelo Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, explica que, na maioria dos casos, a insônia é uma condição primária, que ocorre sem depender de outros problemas de saúde.

"Insônia é sempre um transtorno do sono, embora possa ser de curta duração. Quando ela dura mais do que três meses é caracterizado um distúrbio crônico que necessita de atenção maior", alerta o especialista.

Outros transtornos do sono

Narcolepsia, sonolência excessiva durante o dia, bruxismo e síndrome das pernas inquietas são outros tipos de problemas do sono que podem levar à falta de sono.

Alzheimer

cerebro alzheimer ressonancia 0417 1400x800
haydenbird / iStock

Além da deterioração da memória e capacidade cognitiva, o Alzheimer está relacionada à desorganização do ciclo circadiano, que é um ciclo biológico diário que regula a digestão, sono, temperatura, entre outros fatores. Com isso, surge dificuldade em dormir.

Ansiedade, depressão e estresse

Não se sabe ao certo o porquê, mas depressão e alterações do sono estão intimamente ligadas, levando tanto à sonolência excessiva quanto à insônia. 

Já a ansiedade provoca um estado de alerta que dificulta nosso corpo de relaxar e conquistar o tão merecido descanso.

Além disso, despertar no meio da madrugada pode ser estresse, pois esse estado aumenta o nível de cortisol, prejudicando diversas atividades do dia a dia. 

Apneia do sono

A apneia noturna é um distúrbio do sono em que o ritmo respiratório é interrompido diversas vezes, o que prejudica o ato de dormir. Além disso, acredita-se que o esforço extra contribua com problemas cardiovasculares, como infarto e até acidente vascular cerebral (AVC).

Artrite, fibromialgia e mais

artrite joelho dor 1400x800 0517 2
Viktoriia Panchenko/shutterstock

A dor resultante da inflamação da articulação, denominada artrite, pode atrapalhar o sono. Além disso, o uso de medicamentos imunossupressores, que são frequentemente prescritos na artrite reumatóide, também pode piorar o descanso.

O incômodo de outras doenças que causam dor são igualmente prejudiciais, como fibromialgia e dor crônica.

Câncer

O estado ansioso e depressivo que acomete alguns pacientes oncológicos pode levar à insônia.

Parkinson 

A doença degenerativa de Parkinson está relacionada frequentemente à sonolência diurna e ao transtorno comportamental do Sono REM, acometimento em que o indivíduo tem pesadelos tão intensos que grita, chora e se movimenta demasiadamente. Consequentemente, há prejuízo ao descanso.

Hipotireoidismo

tireoide mulher 0317 1400x800
Nekrasova Anastasiya/Shutterstock

O hipotireoidismo não tratado provoca a carência do hormônio da tireoide, o que acarreta em diversas irregularidades no metabolismo, humor e em outras funções. "Ele pode incluir dificuldades para iniciar o sono e sintomas que imitam quadros depressivos", indica o psiquiatra. Nestes casos, o tratamento adequado do distúrbio da tireoide já ameniza a dificuldade em dormir.

Insônia familiar fatal

Esse é um acometimento genético que afeta uma proteína cerebral causando degeneração e morte. Os sintomas de insônia familiar fatal incluem uma dificuldade em dormir que piora progressivamente até haver uma incapacidade absoluta. Logo, surge emagrecimento súbito, demência, retorno do sono, sonolência excessiva, coma e morte.

Apesar de perigoso, o psiquiatra Rafael Brandes Lourenço tranquiliza, explicando que o problema é raríssimo e está presente em apenas 27 famílias em todo o mundo.

Medicamentos e alimentos estimulantes

Alguns remédios têm efeito colateral estimulante que faz perder o sono. Além disso, substâncias que dão energia, como energético e cafeína, também são prejudiciais. 

Refluxo noturno

azia dor estomago 0517 1400x800
5432action/istock

Refluxo gastroesofágico é uma condição em que a válvula que separa o estômago do esôfago não consegue impedir a passagem de ácido gástrico, o que irrita o órgão, causa queimação e azia.

Apesar de ser possível, essa condição dificilmente causa insônia, conforme explica o especialista.  Contudo, a sensação pode levar a um despertar desconfortável, com dor no peito e sabor amargo na boca.

Gravidez

posicao gravida dormir 0517 1400x800
Drazen_/IStock

A barriga na gestação impacta no retorno venoso e ocasiona a diminuição do fluxo sanguíneo no cérebro, o que dificulta a chegada do sono. O crescimento abdominal ainda dificulta encontrar uma posição confortável para dormir.

Outro fator importante é a ansiedade da chegada da criança, que pode criar um estado de alerta e prejudicar o descanso.

Para evitar a insônia na gravidez é indicado adotar hábitos e uma rotina antes de dormir, como definir horários para deitar e acordar e usar um travesseiro para apoiar a barriga.

Consequência da insônia

Dormir bem é vital para regular as funções do organismo e nos preparar para o dia seguinte,. Quando há dificuldade em descansar, surgem problemas de memória e atenção, irritabilidade, ansiedade, prejuízos sociais e profissionais e até mesmo o risco de se envolver em acidentes.

Como tratar?

mulher dormindo cama 1216 1400x800
l i g h t p o e t/shutterstock

O tratamento dependerá da causa insônia, o que apenas um médico poderá determinar por meio de exames e da análise clínica.

Caso seja um distúrbio primário, que não está relacionado a outras causas, é indicado realizar terapia cognitiva-comportamental para que sejam desfeitos mitos a respeito do ato de dormir. Em alguns casos, são receitados medicamentos específicos, como indutores do sono, pequenas doses de antidepressivos ou melatonina, que é o hormônio do sono.

Se o problema for um sintoma de doenças é preciso ser ainda mais cauteloso, buscando primeiramente o tratamento para o problema em questão.

Como combater insônia