mulher

Boca de Ludmilla "paralisada" após bichectomia: é normal? Médica explica

ludmilla escondendo a boca 0916 1400x800
Programa do Porchat via Youtube

Ludmilla esteve na última segunda-feira (26) no Programa do Porchat e o que chamou atenção durante a conversa foi a dificuldade enfrentada pela cantora para falar. Ela se submeteu, há duas semanas, a uma bichectomia - cirurgia de redução de bochecha em que as bolas de bichat são retiradas.

Plásticas no rosto

Boca dormente e torta

A funkeira revelou que ainda está com a boca dormente e isso fez com que ela ficasse assustada, mas que retornou ao médico, que garantiu que esta sensação de boca anestesiada pode demorar até um mês para passar e que é normal. Esta também foi a primeira entrevista concedida pela cantora após fazer plática no nariz. "Corrigi meu nariz porque eu não gostava dele do jeito que ele era", revelou. 

Dificuldade para falar

Ludmilla afirmou sentir dor na boca por ela ainda estar dormente e isso também tem atrapalhado um pouco sua fala. Durante a entrevista, Porchat brincou: "O que eu acho mais divertido é que ela não está conseguindo dar risada". A cantora ri neste momento, mas sempre com a mão sobre a boca. Segunda ela mesma, “para não virar meme”. 

A cirurgiã-dentista Marcella Amum, que já realizou a bichectomia na ex-BBB Adélia e  na Mulher Filé, comenta que ficar com a boca dormente e apresentar dificuldade para falar não é comum nos procedimentos feitos por dentistas.

A bichectomia pode ser feita por cirurgiões-dentistas e por cirurgiões plásticos. Enquanto os dentistas realizam o procedimento por dentro da boca, os cirurgiões costumam fazer por um acesso diferente pela parte de fora do rosto. Como vários nervos estão presentes na região da bochecha, pode acontecer de algum deles ser lesionado parcialmente ou completamente durante a cirurgia.

Parestesia: o que é 

Quando o incomodo perdura por mais de três dias, é que aconteceu uma parestesia. Trata-se de uma complicação pós-operatória que provoca sensações anormais como dormência, queimação, coceira, etc.

De acordo com a cirurgiã-dentista, a parestesia pode ser parcial ou total. “Quando o nervo é lesionado pode acontecer uma parestesia total e a pessoa ficar para sempre com os sintomas ou parcial e demorar até seis meses para voltar ao normal”, explica Marcella.

No caso da parestesia parcial, pode ser apenas um inchaço comprimindo o nervo e provocando o desconforto. Neste caso, a tendência é o desconforto diminuir a medida que o inchaço regrede.

“Quando a cirurgia é feita por dentro da boca, o cirurgião tem um acesso mais fácil à bola de bichat, o que evita que nervos sejam afetados e, consequentemente lesões”, explica a cirurgiã-dentista.

Contudo, não é possível saber, exatamente, qual foi o caso da cantora. Só o médico que faz o acompanhamento do procedimento poderia avaliar as causas e consequências.

Confira a entrevista: 

Bichectomia