mulher

Datena será “obrigado” a fazer redução de estômago devido a doença; entenda caso

O jornalista e apresentador José Luiz Datena revelou nesta quarta-feira (7) que vai precisar se submeter a uma cirurgia bariátrica com o objetivo de emagrecer e controlar o diabetes. Ao vivo, ele disse que se não for operado, corre risco de morte.

"Eu vou ser obrigado a fazer uma cirurgia que é para emagrecer, questão de saúde, porque eu tenho diabetes. Se eu não fizer essa cirurgia, eu morro", alertou durante o programa "Brasil Urgente", da TV Bandeirantes.

A especialista em cirurgia bariátrica e endocrinologia Ana Luisa Vilela Barbosa explica que a cirurgia de redução de estômago não é indicada para tratar o diabetes isoladamente. A médica comenta que o objetivo do procedimento é tratar a obesidade, que, uma vez controlada, facilita o combate à doença. No entanto, o paciente que tem diabetes, mas não é obeso, segundo a médica, não tem indicação de bariátrica.

Indicação de cirurgia bariátrica

obesidade em homens 0916 1400x800
kurhan/Shutterstock

A notícia chamou atenção porque o apresentador não aparenta ter obesidade mórbida. Contudo, não são apenas pessoas com este grau de gordura que precisam se submeter ao procedimento. A obesidade abdominal masculina é muito comum e muitas vezes não recebe a devida importância. 

Ana Luisa Vilela Barbosa explica que a cirurgia bariátrica é indicada para pacientes com IMC acima de 35 com problemas de saúde, como diabetes e doenças cardíacas, ou pessoas com IMC acima de 40.

Cirurgia bariátrica trata o diabetes?

Especializada também em nutrologia, a médica comenta que o diabetes tipo 2 - tipo mais grave da doença - é desencadeado principalmente por obesidade, maus hábitos e fatores genéticos. Por isso, a cirurgia de redução de estômago é aliada do combate à doença.

Mesmo assim, Ana Luisa ressalta que o procedimento cirúrgico é indicado por uma série de fatores, e não somente o diabetes. “A cirurgia é indicada para pacientes obesos. Se a pessoa tem diabetes, mas não é obesa, não vai ter a indicação de fazer a cirurgia. Não é um tratamento especifico para o diabetes”, ressalta.

Controle do diabetes tipo 2

diabetes sangue glicemia 0916 1400x800
Syda Productions/Shutterstock

O pâncreas é o órgão responsável pela produção de insulina. No caso de pessoas acima do peso ou obesas, a gordura aumenta a resistência insulínica periférica e o corpo precisa fazer mais esforço para produzir este hormônio, que é liberado no organismo quando há consumo de açúcar.

O papel da insulina é o de “abrir” as células para a glicose entrar. Ou seja, a insulina é responsável pela redução da glicemia (glicose no sangue) e entrada dela nas células.

Se o pâncreas não consegue produzir insulina suficiente, vai ficando cada vez mais difícil colocar a glicose dentro das células. Desta forma, a glicemia (quantidade de açúcar no sangue) aumenta e o diabetes, consequentemente, se agrava.

“As pessoas obesas têm mais dificuldade para produzir insulina e ainda precisam de maior quantidade do hormônio para manter os índices de glicose baixos”, explica.

A cirurgia bariátrica promove grande perda de peso e diminui a resistência insulínica periférica, o que ajuda na conservação das células pancreáticas e na produção de insulina por elas. Portanto, quando a pessoa está no seu peso adequado, a insulina consegue agir melhor sobre as células e garantir que a glicose não fique em excesso no sangue. 

Vale ressaltar que o emagrecimento ajuda a controlar a doença, mas é mito que diabetes tem cura.

Como é fazer uma cirurgia bariátrica: Mulher que perdeu 31 kg descreve todo o processo