mulher

Ômega 3 pode reduzir em 10% risco de morte por infarto, diz pesquisa

salmao peixe pimenta 0716 630x350
ff-photo/Shutterstock

Assim como uma alimentação pouco equilibrada e pobre em nutrientes compromete o emagrecimento e traz diversos prejuízos à saúde, manter no cardápio opções naturais é capaz até mesmo de evitar problemas graves, como hipertensão e doenças cardíacas, por exemplo.

Importância do ômega 3

Um bom exemplo da importância de escolher bem o tipo de comida presente nas refeições cotidianas está no consumo de ácidos graxos ômega 3 que, como uma gordura boa, ajuda na saúde física e mental e, segundo um recente estudo divulgado pela revista científica JAMA Internal Medicine, pode reduzir em 10% risco de morte por infarto.

linhaca prato
Slavica Stajic/Shutterstock

De acordo com a pesquisa, a relação entre o ômega 3 e menores chances de ataques cardíacos fatais pode sugerir que existe um mecanismo especifico de seus benefícios contra os infartos que levam à morte. Para o trabalho científico, mais de 45 mil participantes de 19 estudos feitos em 16 diferentes países tiveram observado em seus sangues os níveis de ômega 3 para que a conclusão pudesse ter sido conquistada.

Peixes como salmão, sardinha e anchova são considerados principal fonte de ômega 3, mas opões vegetarianas como nozes, soja, óleo de linhaça e de canola, por exemplo também podem ser consumidas para garantir os benefícios dos ácidos graxos para a saúde, que vão desde a proteção ao coração até prevenção de diabetes, doenças autoimunes e melhora nas funções cognitivas do cérebro.

Cardápio variado:5 alimentos que têm ômega 3 (e não são peixes!)