mulher

Iza fala sobre alisar cabelo afro aos 12 anos para evitar preconceito: "Muito doloroso"

iza altas horas 0720 1400x800
Reprodução/TV Globo

Iza participou à distância do "Altas Horas", da TV Globo, do último sábado (25) e aproveitou para falar sobre aceitação e racismo. Questionada por Serginho Groismann sobre o seu cabelo, ela falou da pressão que sofreu ainda na infância para se sentir dentro de um padrão e de como ter assumido seu cabelo fez com que ela tivesse um reconhecimento instantâneo de outras pessoas na rua.

Aceitação ao cabelo crespo

Instagram

Dona de um cabelo crespo e em transição capilar, Iza falou sobre aceitação e padrões de beleza no "Altas Horas" do último sábado (25). Questionada por Serginho Groismann sobre como é a relação com os fios, a cantora revelou uma infância marcada pelo preconceito.

"A gente aprende que o nosso cabelo não é aceito pela sociedade, que ele tem alguma coisa de errado e você tem que consertar!", contou. Isso fez com que ela tentasse por muito tempo se enquadrar em um padrão de beleza: "Eu passei grande parte da minha vida alisando o cabelo e eu tenho certeza de que isso faz parte da realidade de muitas meninas negras".

Instagram

Hoje, a cantora avalia quanto a tentativa de mudar seus traços foi prejudicial. "Isso é muito doloroso. Pensar, por exemplo, que eu me submeti à química capilar aos 12 anos como uma tentativa, talvez, de deixar de ser alvo dos comentários racistas que eu ouvia na escola".

Além disso, ela falou também do reconhecimento de pessoas que passaram pelo mesmo que ela. "É impagável você andar na rua, ver uma outra menina de cabelo crespo e ela sorrir para você sem nem te conhecer. A gente acaba se ajudando nesse sentido", explicou.

Cabelo das famosas