Ícaro Silva faz declaração de amor para toda "mãe preta brasileira" em texto para Dona Jô

Instagram

Ícaro Silva não esconde o amor e a admiração por sua mãe. Sempre que publica uma foto ao lado dela, o ator aproveita para se declarar. O post da última terça-feira (5), no entanto, serviu não só para exaltá-la como também para lembrar seus seguidores de outras tantas "mães pretas brasileiras".

Em um texto que remetia às lembranças de sua infância, ele narrou a triste realidade de tantas mulheres que se esforçam para ser arrimo de família e escancarou que a recompensa do trabalho duro não chega para todas.

Homenagem de Ícaro à mãe

Na legenda da foto de Dona Josefa na praia, Ícaro narrou um pouco da rotina de trabalho de sua mãe. "Minha mãe trabalha há mais de 50 anos. Trabalhou a vida inteira, primeiro na roça depois como faxineira. Criou dois filhos inteiros, na favela, sem deixar faltar nada, mesmo com o salário de faxineira", começou o texto.

Instagram

Como é da realidade de muitas mulheres na periferia, Jô (como o ator a chama no texto) só conseguiu concluir os estudos depois de adulta e realizou alguns feitos desde então: "Ascendeu profissionalmente, comprou a própria casa, o próprio carro e conquistou sua independência". Mas suas conquistas financeiras não fizeram com que ela pudesse deixar de trabalhar de segunda a sexta, de 7h às 17h, como faz até hoje.

Instagram

Apesar de reconhecer os feitos da mãe, no entanto, Ícaro é consciente da falta de oportunidade para muitas mulheres como ela. "Sua vitória é exceção no nosso país racista, misógino e elitista", explicou o ator.

A imagem usada mostra Jô curtindo as férias no Caribe usando uma joia que ganhou do filho. A cena é de paz para o ator, mas também um estímulo para continuar a sua luta contra o preconceito. "Eu só vou descansar quando essa for a realidade de toda mãe preta brasileira" desabafou em seu texto.

Leia o texto na íntegra:

Instagram

Minha mãe trabalha há mais de 50 anos. Trabalhou a vida inteira, primeiro na roça depois como faxineira. Criou dois filhos inteiros, na favela, sem deixar faltar nada, mesmo com o salário de faxineira. Terminou os estudos depois de adulta, ascendeu profissionalmente, comprou a própria casa, o próprio carro e conquistou sua independência, mas continua trabalhando de segunda a sexta, de 7h às 17h. Ela é foda, mas sua vitória é exceção no nosso país racista, misógino e elitista. Aqui uma foto dela curtindo as férias no Caribe, usando esse colar de pedras preciosas que eu dei e tomando um drink sem álcool e eu só vou descansar quando essa for a realidade de toda mãe preta brasileira. Jô, você é uma entidade da luz, muita sorte ser teu filho, Punta Cana é tua cara.

Representatividade negra