Modelo com vitiligo dá pelo menos 3 lições de amor próprio que ensinam a todos nós

View this post on Instagram

✨Become comfortable being you✨ #vitiligo

A post shared by Breanne💗Rice (@breannerice) on

Breanne Rice, de 29 anos, escondeu durante uma década um segredo que abalava sua autoestima: o vitiligo na região do rosto. A doença autoimune apareceu apenas dois anos depois que sua carreira de modelo havia começado e mudou completamente a sua relação com a própria imagem.

Breanne conta que largou as passarelas e trabalhos fotográficos, pois queria esconder sua condição e com a rotina de maquiagem intensa que teria que enfrentar na profissão, ficaria impossível guardar segredo.

Somente os pais da jovem sabiam das manchas esbranquiçadas que eram escondidas com maquiagem todos os dias, trabalho que durava pelo menos 45 minutos, todas as vezes que ela precisava sair de casa.

Breanne participou da edição de 2016 do reality show "The Bachelor", do canal norte-americano "ABC". Para estar (como ela considerava) linda à frente das câmeras, a produção da modelo chegava a levar 90 minutos e era feita por ela. Depois de tantos anos vivendo refém de artifícios para esconder o vitiligo, um dia, Breanne resolveu assumir publicamente a sua condição.

Lições de autoestima e aceitação

"Eu não queria me sentir mais assim, resolvi lavar meu rosto e tirar uma foto com o meu celular. Na mesma hora, eu postei no meu Instagram e tive uma resposta superpositiva e a sensação foi de como tirasse um peso dos ombros", disse em entrevista a um programa americano.

Desde então, seu Instagram virou um espaço de mensagens positivas sobre autoestima e amor próprio. “Agora eu acho que o meu vitiligo me deixa mais bonita, porque ele sou eu", diz. Veja palavras da modelo com vitiligo que servem de inspiração para todo mundo:

1. Escolher nossos pensamentos

View this post on Instagram

✨So many days I use to wake up wishing I had perfect skin like everyone else, and would worry about what other people thought of me. I let it define me, and I never felt like I measured up. . . Believe it or not, we can choose our thoughts. I decided I didn't want to feel this way about myself anymore-and I too, wanted to be confident. . . Every day we make a choice of what thoughts we choose to entertain, and what belief systems we have about ourself. . Perhaps you have something you are insecure about, but you can't let it define you. You are beautiful, deserving of love, and can wake up and feel confident too🙌🏻✨. . . Tag someone who needs to hear this 💗👇🏻👇🏻👇🏻 #vitiligo

A post shared by Breanne💗Rice (@breannerice) on

"Tantos dias que eu costumava acordar desejando ter a pele perfeita como todo mundo, e me preocupava com o que outras pessoas pensavam de mim [...]. Acredite ou não, podemos escolher nossos pensamentos. Decidi que não queria mais me sentir desse jeito comigo e também queria estar confiante. Todos os dias fazemos uma escolha de quais pensamentos escolhemos ter e que sistemas de crenças temos sobre nós mesmos. Talvez você tenha algo de inseguro, mas não pode deixar que isso o defina. Você é linda, merece amor e pode acordar e se sentir confiante também", escreveu.

2. Aprender sobre si mesmo

Constantemente ela usa suas redes sociais para dividir a rotina de convívio com a doença e falar sobre a questão abertamente, ajudando pessoas na mesma condição que ela e quebrando alguns paradigmas em relação a doença.

View this post on Instagram

✨When we are used to thinking or feeling a certain way about ourselves, it can be hard to let go of insecurities or fears we have embraced for so long. We become comfortable with insecurity, and the feelings of not being “enough” are a normal daily experience for us. Before we know it, fear and insecurity begin to affect our opportunities, relationships and friendships. I don’t know about you, but that doesn’t sound like much fun-and I lived that experience every day for a very long time. It wasn’t until I let go of the untruths I was telling myself, that I learned what self-love was. Not in a weird “omg I’m in love with myself” way, but learning to love myself just as I am and my own individuality. Knowing that I’m meant to look like me (vitiligo and all), and I need to embrace my own individuality. Having vitiligo doesn’t make me any “less than,” it just makes me different. We are all different, and beauty comes in different forms, skin tones and shapes-love who you are and embrace what makes you different 💗 #vitiligo

A post shared by Breanne💗Rice (@breannerice) on

"Ficamos confortáveis ​​com a insegurança, e os sentimentos de não ser 'suficiente' são uma experiência diária normal para nós. Antes de percebermos, o medo e a insegurança começam a afetar nossas oportunidades, relacionamentos e amizades. Eu não sei sobre você, mas isso não parece muito divertido - e vivi essa experiência todos os dias por muito tempo. Até que eu deixei as inverdades que eu estava dizendo a mim mesmo e eu aprendi o que era amor próprio."

3. Seja você mesmo

Breanne ainda usa maquiagem, mas não mais para esconder a doença que afeta seu sistema imunológico, mas quando sente vontade, foi o que explicou em uma de suas publicações.

View this post on Instagram

I didn’t always feel comfortable in my own skin. It took me a long time to be okay with just being me. When I was 19, I as diagnosed with a rare autoimmune disease called vitiligo, which causes loss of skin pigmentation in large patches. I lost nearly half the pigment on my face and wouldn’t go outside without any makeup on. I always felt so insecure about the way I looked, and it took me 10 years to finally move past it. If I were to talk to my younger self now, I would say “just be you!” That’s the best thing you can do-be yourself. Be confident in who you are, uniquely and individually. Now I enjoy wearing makeup because I like exploring different styles and trends, and not because I’m hiding the insecurities that once overtook my thoughts. I love you all 💗. #vitiligo

A post shared by Breanne💗Rice (@breannerice) on

"Se eu fosse falar com o meu eu mais novo agora, eu diria apenas 'seja você'! Essa é a melhor coisa que você pode fazer por si mesmo. Seja confiante em quem você é, única e individualmente. Agora eu gosto de usar maquiagem porque gosto de explorar diferentes estilos e tendências, e não porque estou escondendo as inseguranças que uma vez tomaram conta dos meus pensamentos", escreveu.

Content temporarily unavailable: https://www.instagram.com/p/BiuoQ8zBcxv/

A modelo inclusive retomou a confiança em si e voltou a fazer trabalhos fotográficos, mostrando a sua doença de uma maneira natural e linda.

Histórias inspiradoras