mulher

Modelo com vitiligo dá pelo menos 3 lições de amor próprio que ensinam a todos nós

Breanne Rice, de 29 anos, escondeu durante uma década um segredo que abalava sua autoestima: o vitiligo na região do rosto. A doença autoimune apareceu apenas dois anos depois que sua carreira de modelo havia começado e mudou completamente a sua relação com a própria imagem.

Breanne conta que largou as passarelas e trabalhos fotográficos, pois queria esconder sua condição e com a rotina de maquiagem intensa que teria que enfrentar na profissão, ficaria impossível guardar segredo.

Somente os pais da jovem sabiam das manchas esbranquiçadas que eram escondidas com maquiagem todos os dias, trabalho que durava pelo menos 45 minutos, todas as vezes que ela precisava sair de casa.

Breanne participou da edição de 2016 do reality show "The Bachelor", do canal norte-americano "ABC". Para estar (como ela considerava) linda à frente das câmeras, a produção da modelo chegava a levar 90 minutos e era feita por ela. Depois de tantos anos vivendo refém de artifícios para esconder o vitiligo, um dia, Breanne resolveu assumir publicamente a sua condição.

Lições de autoestima e aceitação

"Eu não queria me sentir mais assim, resolvi lavar meu rosto e tirar uma foto com o meu celular. Na mesma hora, eu postei no meu Instagram e tive uma resposta superpositiva e a sensação foi de como tirasse um peso dos ombros", disse em entrevista a um programa americano.

Desde então, seu Instagram virou um espaço de mensagens positivas sobre autoestima e amor próprio. “Agora eu acho que o meu vitiligo me deixa mais bonita, porque ele sou eu", diz. Veja palavras da modelo com vitiligo que servem de inspiração para todo mundo:

1. Escolher nossos pensamentos

"Tantos dias que eu costumava acordar desejando ter a pele perfeita como todo mundo, e me preocupava com o que outras pessoas pensavam de mim [...]. Acredite ou não, podemos escolher nossos pensamentos. Decidi que não queria mais me sentir desse jeito comigo e também queria estar confiante. Todos os dias fazemos uma escolha de quais pensamentos escolhemos ter e que sistemas de crenças temos sobre nós mesmos. Talvez você tenha algo de inseguro, mas não pode deixar que isso o defina. Você é linda, merece amor e pode acordar e se sentir confiante também", escreveu.

2. Aprender sobre si mesmo

Constantemente ela usa suas redes sociais para dividir a rotina de convívio com a doença e falar sobre a questão abertamente, ajudando pessoas na mesma condição que ela e quebrando alguns paradigmas em relação a doença.

"Ficamos confortáveis ​​com a insegurança, e os sentimentos de não ser 'suficiente' são uma experiência diária normal para nós. Antes de percebermos, o medo e a insegurança começam a afetar nossas oportunidades, relacionamentos e amizades. Eu não sei sobre você, mas isso não parece muito divertido - e vivi essa experiência todos os dias por muito tempo. Até que eu deixei as inverdades que eu estava dizendo a mim mesmo e eu aprendi o que era amor próprio."

3. Seja você mesmo

Breanne ainda usa maquiagem, mas não mais para esconder a doença que afeta seu sistema imunológico, mas quando sente vontade, foi o que explicou em uma de suas publicações.

"Se eu fosse falar com o meu eu mais novo agora, eu diria apenas 'seja você'! Essa é a melhor coisa que você pode fazer por si mesmo. Seja confiante em quem você é, única e individualmente. Agora eu gosto de usar maquiagem porque gosto de explorar diferentes estilos e tendências, e não porque estou escondendo as inseguranças que uma vez tomaram conta dos meus pensamentos", escreveu.

A modelo inclusive retomou a confiança em si e voltou a fazer trabalhos fotográficos, mostrando a sua doença de uma maneira natural e linda.

Histórias inspiradoras