mulher

Após ouvir que devia emagrecer para atuar, atriz diz: "Sou mais que o nº da minha calça"

ana karolina lannes avenida brasil 1217 1400x800
Estevam Avellar/Rede Globo

Nos dias 16 e 17 de dezembro, das 11h às 20h, o Memorial da América Latina, na cidade de São Paulo, recebe o "Mulherão Fashion Tour", feira de moda plus size que reúne lojas pop up, palestras e pocket desfiles com curadoria de dez blogueiras do segmento.

O evento tem entrada gratuita e conta com a participação de Ana Karolina Lannes, reconhecida por interpretar Ágata, filha da personagem Carminha na novela "Avenida Brasil", da TV Globo.

Depois do sucesso na novela das nove, a atriz também participou de "Tempos Modernos" e do filme "Minha Mãe É Uma Peça". Ao longo destes cinco anos, ela se tornou uma jovem empoderada, que luta para desconstruir os padrões de beleza impostos pela sociedade. Veja a entrevista ao VIX:

Entrevista com Karol Lannes

Content temporarily unavailable: https://www.instagram.com/p/Bbp4JY5F-dN/

VIX: Quando interpretou a Ágata, em "Avenida Brasil", você já gerou um debate sobre os padrões de beleza. Você sofreu algum tipo de bullying quando criança?

Ana Karolina Lannes: Até os nove anos, eu era bem magrinha. Vim de uma família bem simples e não tinha a fartura que tenho hoje. Passei a tomar algumas vitaminas e a partir dos 10 anos comecei a engordar. Na época da novela, eu tinha uns 12 anos e estava bem gordinha. Na verdade, eu fui à Globo fazer o teste para o papel da Rita, que foi interpretada pela Mel Maia, mas chegando lá o diretor me olhou e disse que tinha um papel para mim. Nunca tinha sofrido bullying por conta do meu peso, sofria um pouco por ser baixinha. Quando a novela começou e veio a fama começaram a surgir os “haters”, tanto na internet quanto na vida real, colegas que tinham inveja porque eu estava trabalhando, fazendo uma coisa diferente, me atacavam por conta do meu peso, diziam que eu só estava na novela porque era gorda, ou me chamavam por apelidos para me provocar. Na minha cabeça sempre entendi que estavam me zoando porque eu estava trabalhando, ganhando dinheiro, fazendo meu nome enquanto ninguém fazia nada, mas sofri, sim, mais do que em outros momentos da minha vida.

Content temporarily unavailable: https://www.instagram.com/p/BclCJlQFlKv/

VIX: Na adolescência, após a novela, o que você passou a entender sobre os padrões de beleza?

Ana Karolina Lannes: Terminei a novela aos 13 anos e emagrecer não era uma prioridade. Quando eu sai da minha rotina no Rio de Janeiro, que era só trabalhar e comer besteira, comecei a andar para a escola, comer melhor, fui emagrecendo e crescendo, então meu corpo mudou. Meu corpo é muito sanfona, já fui mais gorda e mais magra do que eu estou hoje. Para mim, isso nunca foi um problema. Hoje em dia, eu sou um pouco mais vaidosa porque com o tempo fui aprendendo a me cuidar, mas tenho um estilo tomboy, às vezes pego a roupa do meu pai para sair de casa. Gosto de ir a eventos maquiada, como toda menina, mas acho que as pessoas dão um valor muito grande para isso. As pessoas não estão mais conseguindo se aceitar do jeito que elas são, nunca estão satisfeitas com aquilo que olham no espelho. A nossa autoestima vai caindo aos poucos e depois a gente não consegue mais levantar. Vejo muita mãe falando para a filha: "Você tem que melhorar o seu cabelo". Se os próprios pais não aceitam o filho do jeito que é, ele vai crescendo com essa ideia de ter que ser mais magro, mais alto, mais loiro. Meu pai muitas vezes já disse que eu precisava emagrecer, mas hoje ele me aceita do jeito que eu sou. Eu uso 42, já usei 36 e 46, e não é um número na balança que vai definir quem eu sou e meus valores. Hoje em dia, com a influência que eu ainda tenho com o público jovem, luto para mostrar a eles que a beleza que eu tenho é por dentro, e é por isso que as pessoas me seguem. Se a gente não se aceitar os outros não vão nos aceitar.

Content temporarily unavailable: https://www.instagram.com/p/BbaawkElm34/

VIX: Como começou o seu contato com o mundo plus size?

Ana Karolina Lannes: É recente o meu contato com este universo e eu nunca tinha visto algo parecido com isso, porque até então eu ia em uma loja e comprava uma roupa que me servisse. Até que recebi na minha casa uma blogueira plus size, a Dani Rudz, ela me levou em uma feira de moda plus size. Este tipo de evento é muito diferente, tem gente gorda, tem gente magra e você vê todo mundo feliz. Ninguém está se preocupando se a barriga está aparecendo, se o decote está muito grande, se as coxas não são fininhas, tem umas roupas maravilhosas e as modelos são uma mais linda que a outra. Eu aprendi mais ainda na feira que essas questões de corpo são muito irrelevantes. Eu uso 42, não sou considerada uma plus size neste meio, mas achei várias roupas para mim. Em vez de pensar que eu poderia emagrecer para caber em uma calça 40, lá a gente se sente bem porque tem roupa para você e as pessoas estão lá para te ajudar, foi maravilhoso ver tanta gente empoderada e tantas mulheres que são seguras de si.

Content temporarily unavailable: https://www.instagram.com/p/Bb2vIDNFJi7/

VIX: Como é a sua autoestima hoje?

Ana Karolina Lannes: A minha autoestima melhorou muito nos últimos anos, eu passei por uma fase que acho que toda menina passa, porque temos essa mania de nos comparar com os outros, ainda mais a gente que está na mídia. Eu recebia mensagens dizendo que minhas amigas ou outras atrizes eram mais bonitas que eu, isso me deixou machucada uma época, mas comecei a ver blogueiras plus size e percebi que existe um outro mundo. Quando acabou a novela, eu ouvi de um diretor que eu não voltaria para a Globo, enquanto eu não emagrecesse, então talvez seja por isso que eu estou tanto tempo fora da TV, porque eu nunca fiquei dentro dos padrões, mesmo quando eu estava magra. Esse é um dos motivos pelos quais eu estou indo para fora do Brasil, quero tentar carreira lá fora, pois sinto que vou ter que mudar quem eu sou fisicamente se quiser voltar a trabalhar na TV por aqui.

VIX: Quais são os planos para o futuro?

Ana Karolina Lannes: Além de estar bem engajada com a questão de empoderamento feminino, quero criar um canal no YouTube para compartilhar um pouco da minha vida em intercâmbio em outro país. Também estou indo para fora para me conhecer melhor e provar que o meu conteúdo vale mais que o número da minha calça.

Content temporarily unavailable: https://www.instagram.com/p/BXjdoEYl_Ko/

Mulheres empoderadoras