mulher

Derrota no futebol não apaga brilho das brasileiras: equipe é nosso orgulho nos jogos

futebol feminino brasil 0816 1400x800
Pedro Vilela e Harry How / Getty Images

Os Jogos Olímpicos Rio 2016 estão sendo muito marcados pela presença e força feminina em diversas modalidades, e uma das equipes que mais conquistou a torcida foi a seleção feminina de futebol do Brasil. 

As meninas podem não ter ganhado medalha de ouro na Olimpíada de 2016, mas a derrota do time para a Suécia não apagou tudo o que elas conquistaram nos jogos - dentro e fora do campo. Relembre momentos das jogadoras que encheram o Brasil de orgulho:

Seleção feminina de futebol na Rio 2016: momentos marcantes

"Marta melhor que Neymar"

A começar por Marta, que é a melhor jogadora de futebol do Brasil. Ela é a atleta que fez o maior número de gols na história da Seleção Brasileira - mais do que o Pelé. No jogo em que o Brasil venceu a Suécia, a torcida gritava "Marta melhor que Neymar". Foi um momento importante, não pela comparação com o jogador, mas sim pela confirmação de que mulheres têm, sim, espaço no futebol e podem trazer orgulho ao país quando recebem a visibilidade devida. 

Camisa masculina da Marta

A imagem abaixo dominou as redes sociais. A radialista Bruna Muraro estava trabalhando como voluntária nos jogos quando viu um garoto usando esta camiseta, que está com "Neymar" riscado, e com o nome de Marta embaixo, acompanhado por um coração. Ela então tirou uma foto, que rapidamente viralizou. 

A justificativa do garoto por ter feito isso, é que "a Marta é apaixonada, ela gosta de jogar futebol. Ela mostra que mulher entende de futebol. A seleção feminina está ganhando todas, arrebentando, para mim é um símbolo do feminismo no Brasil. Acho que ela mereceu totalmente [a camisa]. Acho que ela merece essa camisa muito mais que o Neymar". Você pode ver no vídeo abaixo: 

Maior artilheira da história das Olimpíadas

Mas o time não é feito somente de Marta, e temos muitas outras mulheres que são tão incríveis quanto a jogadora - como a atacante Cristiane, a maior artilheira da história das Olimpíadas. Ela conquistou a posição quando chegou a 12 gols feitos apenas em jogos olímpicos, deixando para trás a alemã Birgit Prinz, melhor jogadora do mundo em 2003, 2004 e 2005, com dez. 

A garra de Cristiane é impressionante, porque a jogadora, de 31 anos, faz parte da seleção brasileira desde os 15, ou seja, metade da sua vida foi dedicada para representar seu país no campo. E o vídeo abaixo, do golaço que ela fez no primeiro jogo do Brasil contra a Suécia, no dia 6 de agosto, prova isso: 

Persistência das jogadoras

A raça das jogadoras é algo impressionante, e elas são incrivelmente boas quando se trata de revanches. Na Olimpíada de 2008, elas venceram a semifinal por 4 a 1 contra a Alemanha, que tinha tirado as meninas da final da Copa um ano antes. Recentemente, em um jogo de preparação para os jogos do Rio, elas venceram da Austrália - que em 2015 as eliminou na Copa também - por 3 a 1, de virada. 

Goleira Bárbara 

A goleira Bárbara é outro destaque merecido dessa Olimpíada. No jogo que classificou a seleção para as semifinais, o placar foi decidido nos pênaltis, que foram defendidos por ela até o fim.

Mais Olímpiadas: Despedida de Dani Hypolito das Olimpíadas: veja como atleta mudou a cara do esporte