pop

A linda homenagem que dona fez para seu cãozinho no jornal tocou o coração de muita gente

"Charles James Gregory-Hammett cruzou o arco-íris pacificamente nos braços de sua mamãe." É assim que Sallie Gregory Hammett inicia a homenagem que fez a seu cão em um jornal. O lindo obituário que ela escreveu para seu golden retriever viralizou na internet e tocou o coração de muita gente.

Cãozinho ganha homenagem em obituário

Depois de perder Charlie para um linfoma em setembro de 2020, Sallie decidiu fazer algo diferente para se confortar e homenagear seu companheiro de quatro patas. Relatou em um obituário de jornal intitulado "Lembrando Charlie" seu amor e sua saudade pelo bichinho.

"Charlie amava tudo o que a vida tinha a oferecer (...), mas mais do que qualquer coisa, ele amava sua mãe”, escreveu Sallie, completando: “As atividades preferidas de Charlie eram caminhar, colecionar gravetos, nadar, sorrir e tirar cochilos”.

Por fim, Sallie afirmou na nota que seu cãozinho “será sempre lembrado” e que fará muita falta em sua vida.

Publicado no Twitter, o obituário viralizou e teve mais de 108 mil curtidas e mais 3 mil comentários. Muita gente ficou tocada com a história e decidiu compartilhar suas condolências com fotos de seus próprios animais de estimação.

Confira a tradução completa do texto escrito pela dona de Charlie:

"Charles James Gregory-Hammett cruzou o arco-íris no domingo, 13 de setembro, pacificamente nos braços de sua mamãe.

Nascido em 15 de julho de 2013, em Easley, Carolina do Sul, Charlie era filho de Sallie Gregory Hammett, e quatro anos depois também foi adotado por seu amoroso pai canino, David Hammett. Ele se mantém vivo através de seus avós, quatro tias e tios e seu adorado primo Captain. Sua morte foi precedida pela de sua irmã Gracie e Scout Gregory (que os receberam com alegria do outro lado).

As atividades preferidas de Charlie eram caminhar, colecionar gravetos, nadar, sorrir e tirar cochilos. Se formos honestos, Charlie amava tudo o que a vida tinha a oferecer (exceto escadas. Ele detestava escadas). Charlie amava a praia, passeios de carro, bananas e meias. Charlie sempre amou ir à casa de sua vovó e vovô, onde ele ganhava petiscos, perseguia esquilos e fazia xixi em todos os lugares onde o primo Captain havia feito xixi. Charlie perseguia carros, acampava, fazia trilhas e pescava. Ele viveu a melhor vida possível.

Mais do que qualquer coisa, Charlie amava sua mãe. Ele sempre estava lá para cumprimentá-la com beijos e uma pegada firme em seu braço. Ele era a companhia constante dela. Presente durante mágoas, mudanças, lutos e alegrias. Ele era bom em um monte de coisas, mas era o melhor em amar incondicionalmente. Ele ensinou todo mundo que conheceu sobre amar pessoas e sempre enxergar o melhor em todos.

Charlie perdeu uma batalha dura contra o linfoma após cinco meses de bravura. Charlie passou seus últimos dias em seu lugar favorito, a praia. Ele relaxou nos buracos do seu tamanho que ele mesmo cavava e mergulhou de cabeça nas ondas. Seus últimos dias foram muito felizes, e ele será estimado para sempre.

Nós pensaremos nele todas as vezes em que abrirmos o pote de manteiga de amendoim. Sentiremos saudade dele todas as vezes em que virmos uma meia no chão ou um graveto durante uma caminhada. Nós os levaremos conosco para todos os lugares.

Ele fará falta para sempre e será lembrado para sempre, mas ele deixou aqui seu amor ardente, que nunca vacilou. No lugar de flores, a família pede para que vocês deem aos seus cãozinhos uma dose extra de amor em honra ao Charlie."

Histórias emocionantes com animais