pop

Cães podem ficar agitados na quarentena: dar colo e carinhos o tempo todo é um erro

cachorro sofa home office 0320 1400x800
George Rudy/Shutterstock

Se você percebeu uma inquietude maior dos cachorros ou até latidos mais frequentes durante a quarentena pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2), não estranhe: os animais podem ficar mais agitados em consequência das mudanças de rotina impostas pelo período.

Cachorros podem ficar irritados na quarentena

A adestradora de cães Fernanda Guillen, da empresa “Tudo de Cão”, explica que a quarentena influencia diretamente na vida de cães e acarreta mudanças comportamentais nos pets. Não à toa, cães podem estar mais agitados neste momento, latindo muito ou destruindo os móveis.

cachorro brinacdeira 1400x800 1119
otsphoto/shutterstock

Segundo explica Fernanda, o bem-estar dos cães é baseado em quatro pilares: alimentação, atividade física, atividade social e atividade mental.

Com a quarentena, há prejuízos da atividade física e social, segundo Fernanda, porque os cachorros saem menos de casa, até para passear, e deixa de conhecer lugares e pessoas diferentes.

“Tudo isso é importante para manter os cachorros equilibrados. Como na quarentena esses dois pilares são prejudicados, a mudança pode se manifestar com eles mais irritados”, diz a adestradora.

Como deixar o cachorro mais tranquilo na quarentena

cachorro sofa 0320 1400x800
Robert MacMillan/Shutterstock

A irritação despertada por conta da quarentena nos cachorros pode ser contornada com algumas práticas desenvolvidas entre cão e o dono. Uma delas são treinos e brincadeiras que estimulam a atividade mental do cão, um dos pilares citados por Fernanda para o bem-estar do cachorro.

"Geralmente, as pessoas não dão bola para a atividade mental e ela é frequentemente a origem dos problemas de comportamento dos cães. Este momento é ruim por prejudicar o aspecto físico e social, mas pode ser bom porque, se os donos se dedicarem, podem suprir um pouco disso com estímulos à atividade mental, como treinos, ensinar coisas novas."

A especialista recomenda treinos de obediência (comandos como "senta", "deita", "fica"), treino de truques (dar a pata, fingir de morto) e uso de brinquedos de enriquecimento ambiental.

“Geralmente, recheamos o brinquedo com ração e o cachorro precisa pensar em como tirar a comida lá de dentro. E isso é interessante porque também gasta energia dos cães”, diz Fernanda.

cachorro cao caozinho dona carinho 0220 1400x930
JopsStock/Shutterstock

A adestradora recomenda esses brinquedos como alternativa até mesmo para a alimentação do cachorro em vez dos tradicionais potes.

“Com os brinquedos, você aproveita para oferecer a alimentação que eles vão ter que fazer durante o dia junto com a atividade física. E os cachorros gostam disto. Tem cachorro na equipe que, se você coloca no pote, eles nem comem, não acham graça. Mas se você coloca no brinquedo, eles comem com mais vontade porque é um momento de interação.”

Além das atividades de estímulo à atividade mental, a especialista em adestramento ainda cita mais dicas para o momento:

cachorro pitbull racao 1016 1400x800
chaivit chana/Shutterstock
  • fazer brincadeiras como cabo de guerra, buscar a bolinha e outras que estimulem o gasto de energia física;
  • ter momento de relaxamento, como massagens e escovação do pelo, se o cachorro gostar;
  • criar rotina para o funcionamento da casa e das pessoas, com horário de acordar, comer, dormir e um tempo exclusivo para o cachorro, deixando-o mais tranquilo e adaptado ao ritmo da casa;
  • impor limites: o dono não pode ficar refém dos pedidos de atenção e de colo do cachorro. Uma forma de impor limite é não dar atenção fora do momento separado para o pet (exceto, é claro, em caso de necessidade). "Se você está trabalhando e o cachorro chora, late, dá patada e você brinca como ele, o cão aprende que deve fazer isso para ganhar atenção", explica Fernanda;
  • treinar o cachorro para ficar sozinho de novo, isto é, acostumá-lo a voltar à rotina pré-quarentena. Uma forma de fazer isso é evitar trabalhar no mesmo ambiente que o pet. "Se você trabalha na sala, deixa o cachorro no quarto."

Por fim, Fernanda conclui que a quarentena é uma ótima oportunidade para que donos de cachorros também possam refletir como está sendo o cuidado com seus animais. "Muitos donos que não passeiam com os cachorros. Eles têm necessidades de conhecer gente, lugares novos, praticar atividades físicas. Se o cachorro em geral não sai para passear, é como se ele vivesse em uma quarentena."

Coronavírus e quarentena