explore

Acre enfrenta alagamentos e 10 cidades ficam debaixo d'água: imagens impressionam

enchente acre 02 21 1400 800
Divulgação/Governo do Acre/Neto Lucena

Na última semana, o estado do Acre foi atingido por fortes chuvas, que causaram o transbordamento de vários rios, fazendo com que cidades ficassem debaixo d'água.

As imagens das enchentes no Acre impressionam. As cheias desabrigaram milhares de famílias, que tiveram que deixar suas casas e partir para abrigos improvisados pelo governo.

Enchentes no Acre: imagens

As enchentes que atingiram o Acre já são consideradas uma das situações mais graves enfrentada pelo estado nos últimos anos.

No dia 16 de fevereiro, o governador, Gladson Cameli, decretou situação de emergência no estado, pois, além das enchentes, o Acre ainda está enfrentando uma epidemia de dengue e a pandemia do coronavírus:

"Por conta do momento crítico que passa o nosso Acre, decidimos decretar situação de emergência. E instituímos, temporariamente, o Gabinete de Crise no Estado do Acre, em decorrência da pandemia do novo Coronavírus, da epidemia de dengue e das inundações em 8 dos 22 municípios", informou.

Segundo uma nota divulgada pelo Governo do Acre, o Rio Juruá, na cidade de Cruzeiro do Sul, chegou a marca de 14,31 metros na última sexta-feira (19), registrando a maior cheia já vivenciada desde 2017.

A cota de alerta do rio é de 11,80 e a de transbordo é 13 metros. Abaixo, é possível ver o rio transbordado e parte da cidade que foi afetada:

rio jurua acre 02 21 1400 1000
Divulgação/Secom/Marcos Vicentti

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, após o transbordamento do rio Juruá, 33 mil pessoas foram atingidas em Cruzeiro do Sul, dentre elas, 8.250 famílias, 208 pessoas desabrigadas e 3.952, desalojadas. Várias delas tiveram que ser retiradas de barco das enchentes.

Ainda segundo o Corpo de Bombeiros, no estado, seis rios já transbordaram e 10 cidades foram atingidas, incluindo a capital, Rio Branco.

Durante as cheias, várias pessoas ficaram sem energia elétrica. No momento, os níveis dos rios estão abaixando, mas alguns continuam acima, como o as águas do rio Iaco, que já atingiram a marca de 18,04 metros no último domingo (21), sendo que a cota de transbordamento é de 15,20 metros.

"A cheia do rio Iaco, em Sena Madureira, infelizmente já atingiu mais de 17 mil pessoas de 26 bairros. Neste domingo estive no município para acompanhar de perto a situação. O governo do Estado está trabalhando para levar apoio a todas as famílias que estão sofrendo. Tenho fé que com o apoio do governo federal vamos superar mais esse desafio", afirmou o governador ao compartilhar uma foto aérea da cidade, que está debaixo d'água.

As pessoas estão sendo encaminhadas a abrigos e o governo também está distribuindo cestas básicas às famílias que foram atingidas.

Enchentes pelo Brasil