explore

Governo divulga calendário das 4 últimas parcelas de R$ 300 do auxílio: datas

auxilio emergencial dinheiro 1400x800 0720
Andre_MA/Shutterstock

O Ministério da Cidadania divulgou o calendário de pagamento das parcelas residuais do auxílio emergencial no valor de R$ 300,00 e R$ 600,00 - este último, montante dobrado pago a mães chefes de família monoparental.

Receberá todas as quatro parcelas residuais (além das cinco parcelas iniciais de R$ 600,00) apenas quem começou a receber o auxílio no mês de abril. Quem passou a receber em maio, receberá três das novas parcelas; quem começou a receber em junho, receberá duas; quem começou a receber em julho, receberá uma. Todo o crédito será finalizado em dezembro.

Os beneficiários do Bolsa Família seguem recebendo em calendário próprio que obedece as datas originais do programa.

Calendário das novas parcelas de R$ 300,00

O pagamento continuará sendo feito em ciclos de acordo com a data de recebimento do primeiro crédito em poupança social digital existente em nome do cidadão.

Crédito em conta para quem começou a receber em abril

O público beneficiário do auxílio emergencial residual que tenha recebido o crédito da primeira parcela do auxílio emergencial em abril de 2020 receberá o crédito da primeira parcela do auxílio emergencial residual conforme calendário abaixo.

O crédito da segunda, terceira e quarta parcelas do auxílio emergencial residual para quem começou a receber em abril será feito conforme calendários dos Ciclos 4, 5 e 6, respectivamente (abaixo). Ou seja, a pessoa que passou a receber R$ 600,00 em abril receberá a segunda parcela na mesma data em que quem começou a receber R$ 600,00 em maio será creditado com a primeira parcela residual e assim sucessivamente.

pagamento auxilio datas 1400x800 0920 3
divulgação/ministériodacidadania

Crédito em conta para quem começou a receber em maio

Quem começou a receber em maio terá crédito em poupança social de acordo com calendário abaixo.

O crédito da segunda e terceira parcelas do auxílio emergencial residual será feito conforme calendários para os Ciclos 5 e 6, respectivamente. Ou seja, a pessoa que passou a receber R$ 600,00 em maio receberá sua segunda parcela na mesma data em que quem começou a receber R$ 600,00 em junho será creditado com a primeira parcela residual.

pagamento auxilio datas 1400x800 0920 4
divulgação/ministériodacidadania

Saque em dinheiro para quem começou a receber em abril e maio

Quem passou receber em abril e maio poderá sacar nas datas abaixo.

saque auxilio datas 1400x800 0920 34
divulgação/ministériodacidadania

Crédito em conta para quem começou a receber em junho

O público beneficiário do auxílio emergencial residual que tenha recebido o crédito da primeira parcela do auxílio emergencial em junho de 2020 receberá o crédito da primeira parcela do auxílio emergencial residual conforme calendário abaixo (Ciclo 5).

O crédito da segunda parcela do auxílio emergencial residual será conforme calendários para o Ciclo 6. Ou seja, a pessoa que passou a receber R$ 600,00 em junho receberá sua segunda parcela na mesma data em que quem começou a receber R$ 600,00 em julho será creditado com a primeira parcela residual.

pagamento auxilio datas 1400x800 0920 5
divulgação/ministériodacidadania

Crédito em conta para quem começou a receber em julho

O público beneficiário do auxílio emergencial residual que tenha recebido o crédito da primeira parcela do auxílio emergencial em julho de 2020 receberá o crédito da parcela do auxílio emergencial residual conforme calendário do Ciclo 6.

pagamento auxilio datas 1400x800 0920 6
divulgação/ministériodacidadania

Saque em dinheiro para quem começou a receber em junho e julho

Beneficiários dos Ciclos 5 e 6, ou seja, quem começou a receber em junho e julho, respectivamente, poderão sacar em espécie nas seguintes datas:

saque auxilio datas 1400x800 0920 56
divulgação/ministériodacidadania

Novas regras para parcelas residuais do auxílio emergencial

Para o pagamento das últimas parcelas, vale lembrar que algumas regras mudaram.

Antes, a lei excluía do programa pessoas que tivessem rendas tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2018. O mesmo critério continua sendo usado, entretanto foi atualizado considerando as novas declarações do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) de 2019.

Também foram excluídas pessoas que, em 31 de dezembro de 2019, tinham posse ou propriedade de bens ou direitos, incluindo terra nua, com valor total superior a R$ 300 mil.

Brasileiros que moram no exterior, presos em regime fechado, quem conseguiu um emprego CLT ou foi eleito para receber benefício previdenciário ou assistencial nesse meio tempo também não serão contemplados.

Auxílio emergencial